Base dará origem à nova linha de compactos da Citroën

A PSA anunciou em outubro de 2019 que a planta de Porto Real (RJ) passaria por uma atualização de R$ 220 milhões para a produção de modelos sobre a plataforma CMP na fábrica brasileira. Meses depois, o grupo anuncia a produção da primeira unidade desta plataforma no Brasil e, ao mesmo tempo, a produção de "modelos inéditos" para conviver com o que é produzido na Argentina - hoje, o novo Peugeot 208 e provavelmente o novo 2008 em 2021.

"A sua variante introduzida recentemente em nossa fábrica de Palomar, na Argentina, dará origem, em breve, à produção do Novo PEUGEOT 208. Já da variante da plataforma implantada em Porto Real, serão lançados outros produtos inéditos”, afirmou Patrice Lucas, Presidente Brasil e América Latina e membro do Comitê Executivo do Groupe PSA. Rumores indicam que a PSA trabalha em uma linha inédita de compactos da Citroën (hatch, sedã e SUV) para o mercado latino e que seriam produzidos no Brasil e exportados para a região, ficando a Argentina com a responsabilidade pelos dois modelos da Peugeot. 

Retorno aos trabalhos

Ao mesmo tempo, a PSA anuncia a volta da produção de automóveis no Brasil depois de meses em paralisação. A fábrica de Porto Real (RJ) será reativada no dia 23 de junho com novas normas de segurança e higiene para proteger seus funcionários. A planta, responsável por modelos da Peugeot e Citroën, retornará de forma gradual ao trabalho, atendendo também ao retorno do mercado.

Galeria: Teste - Peugeot 2008 THP AT

Em Porto Real, são produzidos os Citroën Aircross, C4 Cactus, C3, além do Peugeot 2008 (o 208 já deixou de ser produzido para o lançamento da nova geração, importada da Argentina). Lá também é feita a transformação dos Citroën Jumpy e Peugeot Expert em versões para passageiros - ele chegam do Uruguai ainda em versão furgão. Por enquanto, o retorno é apenas para os que estão ligados à produção dos veículos, assim como a equipe administrativa desta área.

Entre as medidas implementadas, a PSA recomenda o uso de transporte individual (quando não possível, recomenda o distanciamento no uso do ônibus coletivo), verificação de temperatura corporal na entrada, monitoramento de saúde, fornecimento de máscaras e álcool em gel, respeito ao distanciamento inclusive em áreas de descanso e limpeza frequente das áreas de trabalho. 

Fotos: divulgação