Complexo sediado em Joinville recebeu investimento de R$ 1,9 bilhão

A estratégia GEM (Global Emerging Markets) da General Motors, que deu origem ao novo Chevrolet Onix e sua versão sedã Onix Plus, vai além da criação de uma plataforma unificada para vários tipos de carroceria. Ela também envolve a criação de uma nova família de motores, que chegou ao Brasil primeiro na versão 1.0, aspirada e turbo. Para conseguir produzir este novo propulsor em Joinville (SC), a GM investiu R$ 1,9 bilhão para erguer um novo prédio e modernizar os processos.

Galeria: Chevrolet Onix e Onix Plus (Sedan) 2020

Este investimento foi usado para construir um novo prédio de 46.800 m² em Joinville, onde ficam as novas linhas de produção dos motores para os carros GEM. Ele tem seis linhas, duas para usinagem de blocos, duas de cabeçotes, uma de sub-montagem de cabeçotes e uma de montagem de motores. Ao todo, foram foram instalados 627 novos equipamentos, incluindo 90 robôs. A capacidade de produção é de 410 mil motores/ano, contra 174 mil de até então. 

Chevrolet Onix Plus x VW Virtus

Estas linhas de montagem contam com estações robotizadas, monitoramento do processo de produção através de câmeras, sistema autônomo de movimentação de materiais por robôs, gerenciamento de estoque e programação por software e mais. A GM tem monitoramento em tempo real de cada etapa e os funcionários podem acompanhar por tablets e smartphones.

Até o momento, a fábrica em Joinville constrói apenas o motor 1.0 de três cilindros, nas variantes aspirada de 82 cv e 10,6 kgfm; e na opção turbo de 116 cv e 16,8 kgfm, sem injeção direta. Embora a fabricante não confirme, tudo indica que a terceira motorização a ser montada no complexo é a 1.2 turbo, de rendimento ainda desconhecido e que será usada pelo novo Tracker. Na China, ainda há o 1.3 turbo de 165 cv desta mesma família de motores, mas ainda não confirmado para o Brasil.