Apesar de enfrentar dificuldades financeiras, empresa está disposta a manter seu status quo

Apesar de atravessar um momento delicado e amargar perdas financeiras, o grupo Jaguar Land Rover seguirá firme e forte nas mãos da indiana Tata. Em entrevista concedida recentemente à revista AutoExpress, o CEO da empresa, Ralph Speth, desmentiu boatos que davam conta de eventuais negociações envolvendo a companhia e garantiu enfaticamente que não há nada em curso nesse sentido. "Hoje é muito simples. A Jaguar Land Rover não está à venda", disse. Meses atrás, circulou no mercado a possibilidade de a empresa ser adquirida por grandes conglomerados como a PSA Peugeot-Citroën, FCA ou até mesmo a Hyundai-Kia.

Galeria: Avaliação: Jaguar I-Pace (BR)

Speth admite que o momento financeiro vivido pela JLR não é dos melhores, mas lembra que até mesmo empresas hoje interessadas na marca, como PSA e FCA, também já passaram por seus próprios problemas de caixa. "No passado, a JLR poderia ter escolhido comprá-las se quisesse", argumentou. "Somos de propriedade da Tata da Índia. É assim que as coisas vão ficar. A Tata - com a Jaguar e a Land Rover - é líder, produzindo produtos de destaque que já ganharam um total de seis World Car Awards nos últimos três anos", completou.

Mesmo com tantos prêmios no currículo, a companhia enfrenta resultados financeiros preocupantes oriundos de três frentes em especial: colapso das vendas de carros a diesel na Europa (justamente o ponto forte da Land Rover), gastos com o desenvolvimento de híbridos e elétricos (que ainda não geram lucros), e grandes obras e investimentos no Reino Unido e no exterior.

Fonte: Auto Express