Divisão romena prepara modelo para corrida de carros elétricos no gelo

Nossos espiões apareceram com uma surpresa: fotos de um Duster totalmente elétrico rodando pela Europa. Além da motorização, esta unidade do SUV compacto ainda apresenta uma carroceria modificada, como se estivesse se preparando para uma corrida. A Renault é uma das marcas mais experientes no segmento dos elétricos, há anos trabalhando com veículos deste tipo, então não é estranho ver que a Dacia, sua divisão romena, está aproveitando este conhecimento. Só não era esperado ver isso no Duster.

Galeria: Dacia Duster elétrico - Flagra

De acordo com nossos fotógrafos, estas fotos foram feitas em um lago congelado próximo do círculo ártico, onde a Renault Sport trabalha em um novo veículo para a competição Andros Trophy. Este campeonato feito no gelo irá receber uma divisão para carros elétricos a partir de 2020, o que explica porque a Dacia está testando um Duster elétrico.

Recebeu uma carroceria bem mais larga e longa do que a atual, principalmente na região das caixas de roda. Podemos notar também que está com uma gaiola, bancos esportivos e pneus especiais para neve. Se você der um zoom na parte das rodas dianteiras, verá que ainda ganhou freios maiores da Brembo, enquanto as rodas traseiras escondem freios da Alpine.

Dacia Duster EV mule spy photo
Dacia Duster EV mule spy photo
Dacia Duster EV mule spy photo

A participação da Dacia na categoria elétrica da Andros Trophy pode ter um impacto significante no desenvolvimento de carros elétricos da marca. Rumores apontam que a marca romena irá lançar seu primeiro elétrico de produção em algum momento do início da próxima década e este carro de competição ajudará os engenheiros a entender melhor a mecânica de um veículo EV.

Porém, dependendo do caminho que a Dacia escolher para seu futuro elétrico, pode não chegar ao Brasil. Executivos da Renault disseram que a estratégia de trazer os modelos da Dacia ao nosso mercado com o logo da empresa francesa acabou, e a única exceção será o Duster. Isso fará com que o resto da linha da fabricante mude consideravelmente - uma das consequências será o futuro do Sandero, que deve ser substituído por uma versão emergente do novo Clio.

Fotos: Automedia