Como ela ficaria em comparação com as concorrentes brasileiras?

A Ford lançará a Ranger 2019 nos Estados Unidos em breve. Como entra em um mercado com uma grande preferência pelas picapes, a marca começou a dar detalhes técnicos da novidade para animar os possíveis clientes e está orgulhosa em anunciar o motor 2.3 EcoBoost como um dos utilizados pela Ranger por lá. Além dos 273 cv e 42,8 kgfm de torque, ela tem 3.400 kg de capacidade de reboque e 843 kg de carga na caçamba quando equipada com o câmbio automático de 10 marchas. 

A Ford diz que essa é a maior capacidade de reboque e de carga para as picapes da categoria com motor a gasolina nos Estados Unidos. No Brasil, mercado onde há espaço para as picapes não-diesel, como ela ficaria diante da concorrência local com motorização flex, como Chevrolet S10 e Toyota Hilux?

A Chevrolet S10 2.5 tem até 206 cv e 27,3 kgfm de torque e câmbio automático de seis marchas. Mesmo assim, são 940 kg de capacidade de carga, quase 100 kg a mais que a Ranger 2.3 americana. A capacidade de reboque da S10 não é divulgada. Contra a Toyota Hilux 2.7, com seus 163 cv e 25 kgfm de torque, a diferença é ainda maior. A japonesa pode levar 860 kg na caçamba e rebocar até 5.210 kg. 

Ford Ranger 2019 - EUA

Até mesmo contra a versão brasileira existe diferença. Equipada com o 2.5 aspirado de 173 cv e 25 kgfm de torque, ela leva 1.298 kg, mas reboca apenas 1.700 kg. Quando pensamos nos modelos e versões turbodiesel, a diferença é ainda maior. 

De qualquer forma, o motor 2.3 EcoBoost dificilmente chegará ao Brasil. Mas o visual da Ranger americana deve chegar, com produção ainda na Argentina, em algum momento de 2019. Novas tecnologias deverão ser os principais pontos de vendas da picape média, mas mantendo os mesmos motores e câmbios atuais. 

Galeria: Ford Ranger 2019 - Estados Unidos