Ainda feito no Brasil, diretor global de produção afirma que marca irá concentrar fabricação do hatch na Alemanha

Em uma mudança estratégica, a Volkswagen decidiu que irá concentrar a produção do Golf em uma única fábrica na Alemanha. Parte desta decisão se deve a negociações com o sindicato em Wolfsburg (Alemanha) e outra pela queda deste segmento específico em favor dos SUVs, embora o Golf ainda seja o carro mais vendido na Europa.

O reflexo direto desta decisão é o fato de que o hatch médio deixará de ser fabricado no México, informação que já circulava entre a mídia especializa mexicana e agora foi confirmada por Andreas Tostmann, diretor de produção da VW, em entrevista à publicação Braunschweiger Zeitung. Ainda não há informações sobre como esta decisão pode afetar o Golf nacional, feito em São José dos Pinhais (PR).

 

Leia também:

A fabricante quer produzir 1 milhão de unidades por ano em Wolfsburg e o Volkswagen Golf terá um papel fundamental nisto. Além de ser um modelo de alto volume para a Europa, o hatch médio irá mudar, recebendo uma nova geração, prevista para ser revelada no início de 2019 – o que irá elevar as vendas.

VW Golf 200 TSI (1.0 Auto) 2019
Volkswagen Golf 2018 - Fotos oficiais

E como isso irá afetar o Brasil? A versão hatchback é produzida em São José dos Pinhais (PR) e deve continuar pelo menos durante o ciclo de vida desta geração. Já o modelo Golf Variant, atualmente importado do México, deve passar a vir da Alemanha.

A interrupção de produção no México pode ser um fato positivo para a produção brasileira, uma vez que terá a chance de atender a demanda dos mercados da América Latina.

Durante do lançamento do Golf 2018, reestilizado aqui no Brasil, a Volkswagen afirmou que o Golf não irá sair de linha para dar lugar a um SUV. De acordo com Gustavo Schmidt, Vice-Presidente de Vendas e Marketing da Volkswagen do Brasil, hatches médios fazem parte de um seleto "segmento de clientes cativos". Isso significa um consumidor mais exigente em termos de construção e preza pela performance, seja em níveis de aceleração ou estabilidade em velocidades mais elevadas, e que por este motivo o segmento irá continuar como nicho, passando a ser uma vitrine de tecnologias para os demais modelos.

Procurada pelo Motor1.com, a Volkswagen do Brasil não respondeu nosso questionamento.

Fonte: Braunschweiger Zeitung

Galeria: Volkswagen Golf linha 2018 (EUA)