Versões verdes do Golf podem custar mais que o esportivo GTI

O começo de 2018 será corrido para a Volkswagen. Além do lançamento do Virtus (o sedã do novo Polo) e do Tiguan Allspace de sete lugares, a marca também irá apresentar o Golf reestilizado. Durante a apresentação do Virtus, nesta quinta-feira (16), a montadora também anunciou que irá adicionar duas novidades à linha do hatch médio, com a chegada da versão híbrida GTE e da elétrica e-Golf, ambas confirmadas para nosso país.

Leia também:

Ambos fazem parte da estratégia de lançar 20 carros no Brasil até 2020. Outra informação divulgada pela montadora é a origem das novidades: 13 serão fabricados aqui no Brasil, 2 na Argentina e os 5 restantes virão importados. Fora as versões híbridas e elétrica, o Golf renovado virá na configuração hatchback, a perua Variant e o esportivo GTI.

O Golf GTE usa o mesmo motor 1.4 TSI de 150 cv da versão topo de linha. Trabalha em conjunto com um motor elétrico para gerar, no total, 204 cv. Porém, suas baterias precisam ser carregadas em uma tomada, o que leva 3h45, e tem uma autonomia para 50 km no modo puramente elétrico. Se usado no modo híbrido, a marca promete um rendimento de 66 km/l. Acelera de 0 a 100 km/h em 7,6 segundos e tem velocidade máxima de 215 km/h. O outro modelo é o e-Golf, este sim puramente elétrico e que tem autonomia de 300 quilômetros.

Volkswagen e-Golf 2017

Os preços do Golf GTE e e-Golf 2018 ainda não divulgados. O esperado é que o híbrido GTE seja oferecido acima do esportivo GTI (que hoje custa R$ 132.250), enquanto o elétrico e-Golf será posicionado como o modelo topo de linha.

Fotos: Divulgação

Galeria: Volkswagen Golf GTE 2018