Modelo tem chegada ao Brasil já confirmada para o ano que vem

Quase toda a linha de SUVs da Audi já trocou de plataforma com a chegada das novas gerações. O pequeno Q2, por exemplo, adota a conhecida base MQB, enquanto os maiores Q5 e Q7 são sustentados pela arquitetura MLB Evo. Só falta mesmo o Q3, que ainda usa a antiga PQ35 (a mesma do nosso Jetta e da geração anterior do A3), passar pela renovação. 

Leia também:

A nova geração do Q3 roda em testes na Alemanha, como mostra este flagra. Exibindo algumas de suas principais linhas, é perceptível que ele adotará a grade dianteira mais larga que conhecemos no Q5 e Q7, mas os faróis terão uma parte puxada para baixo para dar identidade ao Q3. Como nos irmãos maiores, os retrovisores saem da coluna A e vão para as portas, dando um toque de esportividade. Na traseira, lanternas duplas que, provavelmente, lembrarão as do A3, porém mais afiladas. 

Com a plataforma MQB, o Q3 crescerá para se distanciar do irmão menor, o Q2, que não é vendido no Brasil. Seu crescimento também servirá para dar maior espaço interno para os ocupantes. Com esta plataforma, o Q3 também receberá diversas tecnologias até então ausentes, como o painel de instrumentos digital com tela TFT, (Audi Virtual Cockpit) e a nova central multimídia, com os controles instalados no console central. 

 

 

Em teoria, o Q3 ficará mais leve. Junto, adotará motores de 3 e 4 cilindros turbo para as versões "normais", mas sem abandonar o 2.5 5 cilindros TFSI para uma versão RSQ3 e nem a possibilidade de propulsão híbrida, como acontece no A3 E-Tron. 

A Audi não fala em data exata para o lançamento do novo Q3, mas deverá ser em algum momento de 2018. Em seguida, o Brasil receberá o modelo, mas provavelmente importado. Hoje, ele é fabricado em São José dos Pinhais (PR). No exterior, será fabricado na Hungria ao lado do A3 Sedan, deixando de ser produzido na Espanha. 

Fotos: CarPix