Fabricante chinesa quer vender carros na Europa, mas não como Chery

Mercado exigente, a Europa é o próximo alvo da chinesa Chery. E isso começará a se configurar durante o Salão de Frankfurt, em setembro, quando a marca apresentará um SUV feito especificamente para o mercado europeu. Mas, curiosamente, ele não será vendido como um Chery, mas sob uma nova marca, que ainda não foi revelada. 

Leia também:

As imagens são do teaser que a Chery divulgou. Este SUV, que segundo a empresa, chegará "nos próximos anos", será o primeiro de uma linha completa, desenvolvida com este propósito, e vendida em mercados importantes, como o Reino Unido. Fruto de uma nova plataforma, o modelo terá versões híbrida e elétrica, como exige o novo figurino do mercado, cada vez mais exigente com propulsões limpas. 

Voltando ao SUV, a Chery diz que ele terá desenho, qualidade, dinâmica e resistência que atendem às normas e exigências do público europeu. Pelas imagens, podemos perceber uma carroceria com para-lamas destacados e, no interior, sistema de ar-condicionado digital com um...relógio? "Nossa marca irá focar um público jovem, de mente aberta, com uma estratégia de produção de qualidade e motores de baixa ou nenhuma emissão de poluentes", disse o Anning Chen, CEO da Chery. 

 

Galeria: Chery compact SUV

 

A Chery quer aproveitar o seu conhecimento como a maior exportadora de automóveis da China. Em 14 anos, foram 1,2 milhões de carros vendidos fora do seu país de origem (inclusive no Brasil, onde possui uma fábrica), sendo 100.000 só no ano passado, ou 30% das exportações do segmento na China. Com 700.000 carros produzidos em 2016, a mara espera fechar 2017 com 1 milhão, daí a importãncia da Europa. 

"Todos os veículos da Chery vendidos na Europa terão conectividade, serão divertidos de dirigir, com interior espaçoso e poderão ser personalizados, alinhados com a mais alta qualidade de produto e pós-vendas", garante Chen. 

Fotos: Divulgação