Com constantes trocas de posição, o mercado brasileiro está mais dinâmico do que nunca. E deve continuar assim neste ano

Houve um tempo em que era muito fácil saber o que ia acontecer no mercado brasileiro de automóveis. A Volkswagen liderava, a Fiat e a Chevrolet brigavam pelo segundo lugar e a Ford fechava o "G4", com as demais marcas bem distantes das chamadas "Quatro Grandes". De uns anos para cá, porém, tudo mudou. Hoje, a Chevrolet é líder como marca, a FCA lidera como Grupo (Fiat, Chrysler e Jeep) e a Ford caiu para um antes impensável sexto lugar, atrás da Hyundai e da Toyota.

Diante desta nova realidade, o que pode acontecer nas vendas de 2017? Para saber, fizemos uma análise a partir dos modelos mais vendidos, e também com uma visão sobre os segmentos mais importantes. Vamos lá:

O Top 5

Chevrolet Onix - O campeão de vendas da GM começou este ano abrindo ainda mais vantagem sobre o segundo colocado, o Hyundai HB20. Um sinal de que a reestilização feita no ano passado foi acertada e a nova versão de entrada Joy (que manteve o estilo antigo, mas ganhou a mecânica nova) está funcionando muito bem. Pode perder um pouco com a chegada do Fiat X6H, substituto do Palio, mas dificilmente perderá o primeiro lugar.

 

Chevrolet Onix

 

Hyundai HB20 - Recém-reestruturada, a linha HB20 não deverá manter a mesma força de 2016. Agora em janeiro, ele já está com quase metade dos números do Onix. Acontece que agora a Hyundai tem um novo modelo na fábrica de Piracicaba (SP), o SUV Creta, e os esforços da marca deverão se voltar para ele. Afinal, além de ser uma novidade, ele pertence ao segmento mais "quente" atualmente e ainda tem uma margem de lucro maior que a do hatch. Ou seja, entre produzir HB20 e seus derivados ou o Creta, a Hyundai certamente vai de Creta.

Hyundai HB20 RSpec 2017
Novo Gol Track

VW Gol - E não é que o ex-líder voltou ao pódio agora em janeiro? O Gol deu uma bela recuperada nas vendas com a última reestilização e a adoção do motor 1.0 de 3 cilindros. A questão é que a atual geração está dando seus últimos suspiros, e precisará de descontos e promoções para seguir emplacando bem. Assim, ele deverá perder vendas até a estreia do novíssimo Gol, feito sobre a plataforma MQB A0, no fim do ano ou começo de 2018.   

Ford Ka - Com a apresentação do novo Fiesta na Europa, o atual Fiesta perderá importância por aqui. E o Ka, mais barato e mais espaçoso, vai ganhar novas versões. Em breve, o hatch surgirá no modelo aventureiro Trail e, mais para a frente, com o esperado câmbio automático. Resta saber se a Ford adotará uma transmissão automática com conversor de torque, como a que estará no EcoSport 2018, ou se manterá a Powershift de dupla embreagem da linha Fiesta. Desse modo, o Ka deverá ganhar mercado, mas pode ser que a Ford "tire o pé" um pouco da sua produção para incrementar a linha do novo Eco na fábrica de Camaçari (BA), caso haja maior demanda pelo SUV reestilizado.

Ford Ka 1.5
Toyota Corolla

Toyota Corolla - Se há algum carro com vida mansa no mercado brasileiro, este é o Corolla. Mesmo sem controle de estabilidade em nenhuma versão e preços que não param de subir, o líder dos sedãs médios nem sentiu a estreia da nova geração do seu arquirrival Civic. Um Honda que, aliás, não está fazendo o sucesso esperado. Até meados de janeiro, ele nem sequer aparecia no top 20. Já o Corolla deverá ser reestilizado e ganhar mais equipamentos no segundo semestre (linha 2018), o que deverá aumentar ainda mais sua supremacia.

Os crescentes

Renault Sandero - Pena a Renault não ter aproveitado o lançamento dos novos motores SCe para também apresentar a reestilização sofrida pelo modelo na Europa. Mas o hatch da marca francesa tem sem mantido firme no Top 10, e deverá ser ajudado pelos propulsores mais econômicos. 

Renault Sandero Vibe
Toyota Etios Hatch

Toyota Etios - O Etios demorou a embalar no Brasil, mas, depois de algumas mudanças visuais e internas, ele parece ter conquistado seu espaço. Prova disso é que, desde no ano passado, ele vem galgando posições no ranking de vendas. Até meados de janeiro, ele chegou à oitava posição. E, se aproveitando do nome Toyota e da racionalidade de seu projeto, pode continuar crescendo.

O segmento mais quente - SUVs

Jeep Compass - O SUV médio da Jeep chegou arrebentando e, com menos de três meses de loja, já assumiu a liderança do segmento, desbancando até modelos menores como o Honda HR-V e o irmão Jeep Renegade. Até meados de janeiro, ele mantinha uma vantagem pequena, mas considerável, para o segundo colocado. Se mantiver a força, obviamente que a Jeep vai priorizar sua produção sobre o Renegade. 

Jeep Compass x Honda Civic
Honda HR-V LX

Honda HR-V - Vai ganhar a versão topo de linha Touring, com faróis de LED e mais equipamentos, para se sofisticar e abrir espaço para o lançamento do WR-V, aventureiro derivado do Fit. Mas, enquanto a Honda não abrir a fábrica de Itirapina (SP), pode perder espaço para os próprios modelos da casa - especialmente o WR-V, que será mais barato. 

Hyundai Creta - A marca coreana vem com tudo para o segmento, prometendo vendas na casa das 3 mil unidades mensais e poderio para brigar pela liderança. Como produto, tem tudo para conquistar seu espaço entre os melhores, mas a Hyundai talvez deva ter de rever a política de equipamentos e versões do modelo. Agora no lançamento, os itens mais interessantes foram reservados todos para a versão topo de linha, o que pode espantar o cliente que for em busca dos modelos mais baratos. 

Hyundai Creta 2017 - Brasil
Chevrolet Tracker 1.4 Turbo 2017

Chevrolet Tracker - Chegou com preços agressivos e a inédita combinação (para a categoria) de motor turboflex com câmbio automático. Mas, além de ficar devendo o controle de estabilidade, terá suas vendas restritas pela limitação de 1.500 unidades/mês de importação do México. Não vai ameaçar os líderes, mas a intenção é marcar a presença da Chevrolet na categoria. 

Nissan Kicks - Atual terceiro colocado do segmento, pode crescer com a produção na fábrica de Resende (RJ). Com isso, o modelo deverá ganhar versões mais acessíveis (incluindo câmbio manual) e deixará de sofrer com as cotas de importação do México. Mas pode ter sua posição ameaçada caso o Creta caia no gosto do público.

Nissan Kicks
ford ecosport 2018 abre

Ford EcoSport - Fundador e ex-líder do segmento de SUVs compactos no Brasil, o Eco virá reformulado para a linha 2018 - esperada ainda para o primeiro trimestre. Vai ganhar câmbio automático no lugar do automatizado Powershift e motores 2.0 com injeção direta (mesmo do Focus) e um inédito 1.5 de 3 cilindros da família Dragon. Também evoluirá na cabine, ganhando novos equipamentos e melhor acabamento. Deverá recuperar algum terreno nas vendas, mas ainda terá o problema do estepe na parte externa (que caiu em desuso) e do porta-malas pequeno.  

Podem mexer com o mercado

Fiat X6H - Previsto para maio, o novo hatch será o Fiat mais importante dos últimos anos. Isso porque, com a missão de substituir o Palio e Punto de uma só vez, ele virá com fome de mercado. Terá versões 1.0, 1.3 e 1.8, cobrindo uma lacuna que vai dos "populares" até os "compactos premium", podendo competir tanto com o Onix quanto com o Peugeot 208. Promete amplo espaço interno e acabamento caprichado, com diversos componentes herdados da Fiat Toro. Será o carro de maior volume da marca. Talvez ainda não brigue pela liderança no primeiro ano, mas certamente vem para incomodar os mais vendidos.

Fiat X6H flagra
Fiat X6H flagra

Fiat X6S - Do mesmo modo que o hatch, a versão sedã do novo Fiat virá para encarar os líderes do segmento, como Chevrolet Prisma e Hyundai HB20S. Nesta missão, terá pontos importantes, como o motor 1.8 16V ligado ao câmbio automático de seis marchas, além de controle de estabilidade, sistema stop-start e direção elétrica com função City, que deixa o volante 50% mais leve - itens que também serão oferecidos no hatch.

Leia também:

Fotos: divulgação/arquivo Motor1.com