Avaliação: Fiat Punto Sporting Dualogic Plus - Reestilizado e evoluído, ele segue na briga

Justiça seja feita: comparar a primeira geração do câmbio Dualogic, que estreou no Stilo, com esse Dualogic Plus do Punto Sporting é covardia - a transmissão funciona infinitamente melhor agora. O problema é que tem gente chegando com dupla embreagem por aí (vide o novo Ford Fiesta nacional), e o segmento de compactos premium tende a ficar cada vez mais disputado. Além das estreias do novo Citroën C3 e do Chevrolet Sonic em 2012, em 2013 será a vez do esperadíssimo Peugeot 208, sem contar a já comentada renovação do Fiesta. Como que o Punto fica nessa briga? A resposta está a seguir. A primeira novidade do Dualogic a gente percebe só de soltar o freio. Graças à função creeping, que libera até 3,5 kgfm de torque mesmo sem o motorista acelerar, o carro se movimenta sozinho em primeira marcha ou na ré, como num automático convencional. Parece besteira, mas é uma ajuda e tanto nas manobras, especialmente em terreno inclinado. Outra melhora também pode ser vista em ladeiras, já que o câmbio passou a entender melhor quando o carro está numa subida e não sobe a marcha, para que o motor não perca o fôlego. Por fim, as trocas estão mais suaves que antes. Não que os trancos tenham sumido (eles ainda são sentidos), mas, para ser mais eficiente, só com dupla embreagem - recurso que a Fiat oferece na Europa.
Avaliação: Fiat Punto Sporting Dualogic Plus - Reestilizado e evoluído, ele segue na briga
Você pode até evitar os trancos, mas tem que fazer as mudanças manualmente. Basta aliviar o acelerador, como você faria num carro manual, e pronto, temos uma troca perfeita. Se a intenção for só se livrar do pedal de embreagem, o Dualogic está aprovado. Como automático, oras, trata-se de uma transmissão manual com uma embreagem acionada automaticamente - não adianta esperar dela o mesmo comportamento de uma caixa com conversor de torque. Ciente disso, fica mais fácil explorar o Punto Sporting. Vale curtir as trocas manuais pelas borboletas no volante (opcionais de R$ 284), ainda mais porque as reduções são acompanhadas de uma leve aceleração (o carro executa um punta-tacco automático) e você se sente o piloto. O desempenho do hatch com o Dualogic, em si, não vale a sigla Sporting - o câmbio não deixa o motor sair com giro alto nas arrancadas e perde-se tempo -, mas o motor E.TorQ 1.8 16V é o que melhor veste esse carro. O 1.4 8V é fraco para o Punto, o 1.6 16V fica devendo torque em baixa e o 1.4 16V T-Jet... Bem, ele é ótimo, mas custa caro.
Avaliação: Fiat Punto Sporting Dualogic Plus - Reestilizado e evoluído, ele segue na briga
Se as saídas não chegam a empolgar, os 132 cv e 18,9 kgfm de torque (com etanol) também não se fazem de rogados quando é preciso realizar uma ultrapassagem ou uma manobra mais rápida. Há boa força em baixas rotações, mas o melhor é manter o motor trabalhando em giros elevados, onde ele fica mais à vontade - e você ainda leva de brinde o ronquinho invocado que emana da dupla saída de escape. O câmbio, novamente, funciona melhor no modo manual se você está em busca de uma condução mais animada - não se esqueça de usar as borboletas. Já o consumo ficou dentro do esperado: 7,4 km/l na cidade e 10,5 km/l na estrada, com etanol. Mesmo com a chegada de Bravo, novo Uno e novo Palio, uma coisa não mudou: o Punto ainda é o Fiat mais divertido de dirigir. Da posição baixa do motorista (com ótimo banco e volante de boa pegada), passando pela direção um pouco mais pesada até a suspensão bem calibrada, o compacto premium é bem interativo com o condutor. A carroceria do Sporting rola um pouco nas curvas, mas o Punto segue estável e fácil de controlar no limite, além de manter a suavidade necessária para enfrentar os buracos do dia-a-dia. As rodas aro 16 com pneus 195/55 estão na medida para o compromisso dessa versão. Se a boa estabilidade foi mantida do Punto original, a reestilização sofrida ano passado fez muito bem ao interior do hatch. O painel ganhou formas mais suaves e modernas, principalmente na parte central, e o acabamento melhorou tanto no próprio painel quanto nas laterais de porta. Agora há um aplique de material macio atravessando o painel, com direito até a um feixe de leds em frente ao passageiro, o que dá um clima bacana à noite. Também vale destacar o toque agradável do couro do volante e o belo desenho do quadro de instrumentos, com grafismo esportivo. A decoração Sporting inclui ainda cintos na cor vermelha, de gosto discutível. Mas o ponto fraco da cabine continua sendo o espaço traseiro, inferior até ao do novo Palio.
Avaliação: Fiat Punto Sporting Dualogic Plus - Reestilizado e evoluído, ele segue na briga
A oferta de equipamentos é digna de um compacto premium. "Nosso" carro era esse azul completão aí das fotos, com todos os opcionais: teto solar duplo (o de trás não abre), sistema Blue&Me com entrada USB e Bluetooth, ar-condicionado digital e revestimento de couro nos bancos e volante, além dos airbags laterais e sensores de iluminação, chuva e estacionamento. Alguma falta? Sim, de uma central multimídia mais completa - coisa que agora já é oferecida em carros mais baratos e deve se tornar "obrigatória" nessa categoria mais refinada. Ao equipar o Punto Sporting com os opcionais disponíveis, porém, é preciso cautela para que o preço dele não ultrapasse o da versão T-Jet (R$ 55.740). Dos R$ 48.770 iniciais, o Sporting Dualogic pode chegar a salgados R$ 61.965.
Avaliação: Fiat Punto Sporting Dualogic Plus - Reestilizado e evoluído, ele segue na briga
Na hora de devolver o Punto, fica a sensação de um carro bem acertado. É bom de dirigir, bem acabado e equipado, tem motor valente e ainda é estiloso, apesar de a nova frente com o bigode cromado dividir opiniões. Pessoalmente, eu optaria pela versão manual, que acho mais compatível com essa versão Sporting. Mas o fato é que, embora a concorrência tenha produtos mais modernos, a Fiat continua bem representada entre os compactos premium. Por Daniel Messeder Ficha técnica - Fiat Punto Sporting Dualogic Motor: dianteiro, transversal, quatro cilindros, 16 válvulas, 1.747 cm3, comando simples, flex; Potência: 130/132 cv a 5.250 rpm; Torque: 18,4/18,9 kgfm a 4.500 rpm; Transmissão: câmbio automatizado de cinco marchas, tração dianteira; Direção: hidráulica; Suspensão: independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira; Freios: disco ventilados na dianteira, tambores na traseira, com ABS; Peso: 1.229 kg; Capacidades: porta-malas 280 litros, tanque 60 litros; Dimensões: comprimento 4,065 mm, largura 1,687 mm, altura 1,497 mm, entreeixos 2,510 mm

Avaliação: Fiat Punto Sporting Dualogic Plus - Reestilizado e evoluído, ele segue na briga

Foto de: Daniel Messeder