Andamos na França no SUV chega em 2020 para ser o modelo topo de linha da marca no Brasil

Durante o Salão de Paris de 2018, a Citroën confirmou que importará o C5 Aircross para o Brasil entre 2019 e 2020. Para mostrar o que esperar do novo SUV da marca (que está feliz com as vendas do C4 Cactus), avaliamos a versão topo de linha Shine na França. Com o conhecido motor 1.6 turbo (por lá chamado de PureTech) de 180 cv, é a configuração que provavelmente será vendida aqui. 

O C5 Aircross é claramente uma carta forte para jogar no segmento de SUVs médios (como o Peugeot 3008). Por que? Porque ele é um dos únicos a apostar em conforto, enquanto os outros tentam conjugar comodidade com dinâmica. Em segundo lugar, o Citroën C5 Aircross é diferente, com estilo divertido que quebra a monotonia dos VW Tiguan e Nissan X-Trail, por exemplo. 

Essai Citroën C5 Aircross

Imponente e relaxante

Além do desenho original, a versão Shine adiciona elementos ao C5 Aircross, como as rodas de 18", os apliques inferiores em preto (com detalhes na cor da carroceria no airbump) e os faróis full-LED. Em termos de dimensões, o Citroën C5 Aircross mede 4,50 m de comprimento, 1,86 m de largura e 1,69 m de altura. São 5,5 centímetros a mais que o Peugeot 3008 (4,45 m) e um centímetro a mais que o VW Tiguan (4,49 m). Com os retrovisores abertos, são quase dois metros de largura, o que complica na hora de estacionar, principalmente nos apertados grandes centros. 

Essai Citroën C5 Aircross
Essai Citroën C5 Aircross
Essai Citroën C5 Aircross

No interior, esta unidade se beneficia de um acabamento chamado "Metropolitan Beige", que contrasta com a cor do exterior Bleu Tijuca (650 euros na França). Ele vem junto com os bancos "Advanced Comfort", que elevam o conforto a um nível absolutamente surpreendente. Estes bancos possuem espumas com 15 mm de espessura, com a parte central utilizando espuma de alta densidade para garantir o maior conforto em trajetos longos. A Citroën também se preocupou com a postura dos ocupantes, fazendo um assento largo e com encosto reforçado. 

Além dos bancos, o habitáculo também se destaca apesar da presença de plásticos rígidos. Projetado horizontalmente, o painel do C5 Aircross é bastante ergonômico e com poucos comandos físicos. A tela de 8" incorpora diversas funções e controles do carro e do sistema multimídia. Para o motorista, um painel de 12,3" em tela TFT substitui os mostradores tradicionais. Em habitabilidade, o C5 Aircross é um dos melhores da categoria, com três bancos independentes na segunda fileira, que correm sobre 15 cm de trilhos. Como resultado, o porta-malas varia de 580 a 720 litros, um dos melhores do segmento. Com os assentos dobrados, oferece 1.630 litros de capacidade. 

Essai Citroën C5 Aircross
Essai Citroën C5 Aircross
Essai Citroën C5 Aircross
Essai Citroën C5 Aircross
Essai Citroën C5 Aircross

Puretech ou THP?

Um PureTech de 180 cv? É o 1.6 THP (conhecido no Brasil) com novo nome. Antes limitado a 165 cv, agora ele chega aos 180 cv e 25,5 kgfm de torque. Em termos de emissões, são 129 g/km de CO2, um recorde para um veículo de 1.430 kg de praticamente 200 cv. Junto com o câmbio automático de 8 marchas fornecido pela Aisin, é um conjunto interessante. Mas no grande e pesado C5 Aircross ele não é muito vigoroso e apresenta números de consumo elevados, com uma média de 11,9 km/l em um circuito quase todo de estrada. Gostaríamos que ele tivesse um pouco mais de torque, principalmente para ultrapassagens.  

Essai Citroën C5 Aircross
Essai Citroën C5 Aircross

Se o desempenho é apenas mediano, no conforto o C5 Aircross brilha. Até enterra toda a concorrência graças a um sistema de amortecedores hidráulicos (sistema que existe no C4 Cactus europeu e não foi utilizado no brasileiro por custos). Como na época dos DS e C6, o sistema permite manter a carroceria sempre nivelada, preservando o conforto dos ocupantes. 

Para ser breve na explicação, a suspensão tradicional é composta de um amortecedor, uma mola e um batente mecânico. O sistema hidráulico progressivo da Citroën adiciona dois batentes hidráulicos no amortecedor, um para compressão outro para o retorno. Ou seja, a suspensão trabalha em duas etapas, dependendo do piso. Quando em pisos lisos, os amortecedores fazem o trabalho sem a necessidade dos batentes hidráulicos, então os engenheiros conseguiram deixar o carro com uma sensação de "tapete voador". Porém quando a suspensão é mais exigida, os auxiliares entram em ação de forma progressiva, evitando as batidas secas no sistema e mantendo o controle da carroceria. 

Obviamente que ele não tem o mesmo comportamento dinâmico do primo 3008 e deixa inclinar mais a carroceria nas curvas, mas lembre-se que ele é um modelo mais voltado ao conforto que ao dinamismo. A Citroën está oferecendo no SUV diversos sistemas de condução, inclusive um assistente de faixa extremamente intrusivo no volante. Qualquer desvio é corrigido abruptamente na direção. Além disso, o C5 Aircross pode ser equipado com piloto automático adaptativo, frenagem automática de emergência e alerta de ponto-cego - como o 3008 Griffe Pack no Brasil. 

Conclusão

O C5 Aircross chega atrasado neste tão concorrido segmento. Mas ele é capaz de se diferenciar dos demais em um critério muito importante: conforto. Além disso, encantará grandes famílias com os bancos modulares e um grande porta-malas. Por outro lado, não fomos seduzidos pelo motor de 180 cv, que anda bem, mas nada demais. 

Falando em preços, ele custa a partir de 24.700 euros (valores para a França) na versão Start com motor de 130 cv. A unidade cedida para o teste é uma Shine com opcionais (teto panorâmico, Grip Control...) e chega aos 39.270 euros (cerca de R$ 169 mil). Ou seja, quando chegar ao Brasil (entre este ano e 2020), ele possivelmente vai atuar numa faixa semelhante a do Peugeot 5008, ao redor dos R$ 170 mil.

Citroën C5 Aircross 1.6 PureTech

Motor transversal, 4 cilindros, 1598 cm³, turbo e injeção direta
Potência 180 cv / 25,5 kgfm
Transmissão Automática de 8 marchas - EAT8
Tipo de direção Tração dianteira
0 a 100 km/h 8,2 s
Peso 1.430 kg
Volume do porta-malas 580 / 720 a 1630 litros
Número de assentos 5
Consumo de combustível Médio durante a avaliação: 11,9 km/l
À venda 2019
Preço de entrada 24.700 € (França)
Preço como testado 39.270 € (França)

Galeria: Citroën C5 Aircross