Por R$ 82.100, agora ele custa menos que um EcoSport automático

A Honda lançou o WR-V em 2017 como uma opção mais acessível ao HR-V. Baseado no Fit, o crossover se diferencia principalmente pela suspensão elevada e pelo visual mais robusto, principalmente dianteira. De lá pra cá, o modelo teve algumas mudanças no pacote de equipamentos (e ficou mais caro), mas ainda custa R$ 10.400 a menos que a versão de entrada LX do HR-V. 

No WR-V, a versão de acesso é a EX, como a que mostramos aqui. Ela tem bancos de tecido e perde os airbags de cortina (possui frontais e laterais), o navegador com GPS nativo os retrovisores externos com rebatimento elétrico em relação à EXL. Tabelada a 82.100, é R$ 4.100 mais barato que a versão top. Terá ela a melhor relação custo/benefício da linha?

Prós

Honda WR-V: Prós e Contras

O WR-V herda do Fit o que a Honda chama de Magic Seat. Com o tanque de combustível instalado sob os bancos dianteiros, o carro ganha diversas possibilidades de modularidade, podendo acomodar cargas mais altas ou longas, como uma bicicleta, por exemplo. Também traz do Fit o bom aproveitamento do espaço interno, com boa acomodação para quatro adultos e um porta-malas de 363 litros, bem mais que os 320 litros do Jeep Renegade e superior aos 356 litros do EcoSport. Outro ponto positivo é que as portas traseiras têm amplo ângulo de abertura, para ajudar na entrada e saída da cabine. 

Honda WR-V: Prós e Contras

A Honda não simplesmente subiu a suspensão do Fit para o WR-V. Ao contrário do "durinho" Fit, o crossover amortece com muita competência as irregularidades do piso, mesmo os mais acidentados. A caixa de direção herdada do HR-V (e mais tarde colocada também no Fit) é leve para manobras e tem boa comunicação com o motorista. Os pneus mais altos também ajudam na absorção de impactos, com medidas 195/60 R16 contra os 185/55 R16 do Fit EX. Aos que se preocupam (ou não) com valetas e rampas, o WR-V tem boa altura em relação do solo (19,9 cm) e ângulos de entrada e saída na medida para não raspar em valetas e entradas de garagem. 

Honda WR-V: Prós e Contras

O WR-V tem a suspensão que o Fit deveria ter e o câmbio CVT que faz o motor trabalhar em baixas rotações em circuito urbano, além de proporcionar um rodar liso, isento de trocas de marcha. Apesar do amplo espaço interno, o crossover japonês tem dimensões compactas (4 metros de comprimento, tamanho de um VW Polo), o que facilita na hora de estacionar ou simplesmente dirigir no trânsito pesado. Para completar, a posição elevada do motorista permite boa visibilidade geral, enquanto os bancos acomodam bem o corpo.  

 Contras

Honda WR-V: Prós e Contras

Não há como não enxergar o Fit no WR-V, principalmente na lateral e no interior. A carroceria vem do hatch e, se isso é bom em alguns aspectos, se torna um problema quando o público enxerga no crossover uma versão aventureira do hatch. Uma solução seria um painel diferente para o WR-V, ao menos nos detalhes de acabamento. Já no visual, a traseira destoa com as pontas das lanternas para baixo, solução de gosto discutível feita para se diferenciar do Fit.  

Honda WR-V: Prós e Contras

Em uso urbano, o WR-V não decepciona com o motor 1.5 16V (116 cv e 15,3 kgfm) e o câmbio CVT que extrai o melhor do propulsor. Porém, na estrada e em subidas, a falta de força começa a ser um problema - e ele atinge outro patamar quando o carro está carregado. Para manter a velocidade, a transmissão joga a rotação lá para cima e, além do desconforto acústico, aumenta o consumo. Os números foram inferiores até aos do HR-V com motor 1.8 (8,2 km/l na cidade e 10,8 km/l na cidade versus 7,4 km/l e 9,7 km/l, respectivamente, com etanol). Em alguns mercados, existe uma versão deste motor 1.5 com injeção direta e 132 cv, o que melhoraria o desempenho e o consumo na mesma tacada. 

Honda WR-V: Prós e Contras

Se compararmos o Fit EX com o WR-V EX, estamos falando de uma diferença de preço de R$ 3.800. Este valor por si só já é alto se considerarmos as semelhanças entre eles, mas o Fit ainda vem mais equipado. O hatch tem lanternas em LEDs e os controles de tração e estabilidade com assistente de partida em rampas - falta grave no crossover. Porém, apesar de ter sido considerado caro em sua estreia, o WR-V até que está bem inserido na categoria hoje em dia. Custa menos, por exemplo, que o EcoSport SE 1.5 AT, tabelado a R$ 82.890. 

Honda WR-V EX

MOTOR dianteiro, transversal, 4 cilindros, 16 válvulas, 1.497 cm3, comando simples variável, flex
POTÊNCIA/TORQUE

115/116 cv a 6.000 rpm / 15,2/15,3 kgfm a 4.800 rpm

TRANSMISSÃO automática CVT; tração dianteira
SUSPENSÃO independente McPherson dianteira e eixo de torção na traseira
RODAS E PNEUS liga leve de aro 16" com pneus 195/60 R16
FREIOS discos ventilados na dianteira e tambor na traseira com ABS e EBD
PESO 1.149 kg em ordem de marcha
DIMENSÕES comprimento 4.000 mm, largura 1.734 mm, altura 1.574 mm, entre-eixos 2.555 mm
CAPACIDADES tanque 45 litros; porta-malas 363 litros
PREÇO  R$ 82.100
MEDIÇÕES MOTOR1 BR 
    Honda WR-V 1.5 CVT
  Aceleração  
  0 a 60 km/h 5,6 s
  0 a 80 km/h 8,3 s
  0 a 100 km/h 11,7 s
  Retomada  
  40 a 100 km/h em S 9,2 s
  80 a 120 km/h em S 8,8 s
  Frenagem  
  100 km/h a 0 41,9 m
  80 km/h a 0 26,9 m
  60 km/h a 0 15,1 m
  Consumo  
  Ciclo cidade 7,4 km/l
  Ciclo estrada

9,7 km/l

Galeria: Honda WR-V: Prós e Contras