Associação vê retomada das fabricantes de motocicletas após mês recorde, mas cenário atual ainda é de cautela

Depois de registrar em abril um dos melhores meses de produção nos últimos anos, as associadas da Abraciclo, que reúne a maior parte das montadoras nacionais em Manaus (AM), viram uma queda de 15,1% no total de unidades fabricadas em maio. No mês passado, o número ainda foi bom, 103.792 unidades, mas é menor que as 122.220 unidades fabricadas no período anterior.

Em maio de 2020, a produção foi extremamente afetada pela primeira onda da pandemia e apenas 14.809 motos foram construídas. Em relação ao mês passado, o crescimento foi de 600,9%. O presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, diz que o setor mostra sinais de recuperação. No acumulado de janeiro a maio, a produção de motocicletas totalizou 463.413 unidades, volume similar ao registrado em 2019, período pré-pandemia, quando foram fabricadas 468.984 motocicletas.

Galeria: Honda CG 2020

Momento é positivo, mas próximos meses ainda exigem cautela

O executivo explicou que “no momento, as fábricas mostram uma curva de recuperação. No entanto, estamos apreensivos em relação ao ritmo do avanço da pandemia nos próximos meses. É preciso acelerar o programa de vacinação para trazer tranquilidade na gestão das nossas fábricas”, disse Fermanian.

A Abraciclo afirmou que as fabricantes estão regularizando a entrega de motocicletas gradualmente para as concessionárias. “O estoque ainda é baixo e acreditamos que, em poucos meses, conseguiremos normalizar a situação e acabar com a fila”, diz Fermanian. A boa produção em abril também ajudou o mês de maio a ter o melhor desempenho em emplacamentos desde março de 2016, com 110.417 motos vendidas.

No entanto, vale lembrar também que a indústria como um todo está enfrentando uma escassez de suprimentos. A Yamaha suspendeu a produção de motos no início de maio para regularizar os estoques, por exemplo. Diante desse cenário, Fermanian acredita que o mercado deve continuar aquecido nos próximos meses. A projeção da associação para este ano é produzir 1.060.000 motocicletas, alta de 10,2% na comparação com 2020.

Galeria: Honda CG 160 Titan S 2020

Aplicativos aumentam demanda - e espera - por motos pequenas

Enquanto as fabricantes ainda se esforçam para normalizar a produção e diminuir o tempo de entrega das motos para as concessionárias, a Abraciclo afirmou que a fila de espera por modelos da categoria Street, como a Honda CG 160, pode chegar a 45 dias por conta da alta procura por entregadores de aplicativos. Em categorias mais premium, como das big trails, a fila já estaria normalizada.

Ouça o podcast do Motor1.com:

 

Siga o Motor1.com Brasil no Facebook

Siga o Motor1.com Brasil no Instagram

Envie seu flagra! flagra@motor1.com