Hatch é comercializado na mesma geração há 11 anos. Marca promete definir o futuro ainda neste ano

A confirmação da aposentadoria do Fiat Uno está cada vez mais próxima. Isso porque o hatch surgiu hoje no site da marca somente em uma versão, a Attractive 1.0, que traz o antigo motor Fire 1.0 8v Flex de até 73 cv (gasolina) e 75 cv (etanol) a 6.500 rpm, com o torque rendendo 9,5 kgfm na gasolina e 9,9 kgfm no etanol, sempre a 3.850 rpm.

Para quem não se recorda, há pouco tempo a Fiat comercializava o Uno em quatro versões: Drive 1.0 6v; Way 1.0 6v, Way 1.3 8v e a Attractive 1.0 8v – essa última a única a ser vendida atualmente. E por falar no Uno Attractive, antes ele aparecia no site oficial com preço de R$ 53.490, mas agora sua tabela atualizada fica em R$ 56.190 (R$ 2.700 mais caro). Este valor é válido para todos os estados, exceto São Paulo, onde o ICMS é maior.

Galeria: Fiat Uno Attractive - teste rápido

A má notícia é que a Fiat tirou de linha as versões do Uno com o moderno motor três cilindros 1.0 6V Firefly, que rende 72 cv na gasolina e 77 cv no etanol, enquanto o torque fica em 10,4 kgfm a 3.250 rpm e bons 10,9 kgfm a 3.250 rpm, respectivamente. O desempenho do hatch, especialmente quando abastecido com etanol, era de se tirar o chapéu, pois garantia bastante agilidade - principalmente no uso urbano. Dessa forma, o 1.0 Firefly agora equipa apenas algumas versões do Argo.

Com isso quem procura o Fiat Uno achará a somente a versão Attractive, que traz de série direção hidráulica, ar-condicionado, vidros elétricos dianteiros com função “um toque”, travamento automático das portas a partir de 20 km/h, faróis com máscara negra, computador de bordo e rodas de aço de 14 polegadas com calotas e calçadas com pneus “verdes” na configuração 175/65 R14.

Lançada há 11 anos, a segunda geração do Uno surgiu apostando no design “quadrado redondo” da marca, com muitas opções de personalização. Já em 2014 ele sofreu a primeira (e discreta) reestilização, cujo visual permanece praticamente igual até hoje. Dois anos depois, ele ganhou os modernos motores 1.0 e 1.3 Firefly, que hoje equipam Argo e Cronos. No entanto, mesmo com essas novidades, ele nunca fez o mesmo sucesso do Uno original desenhado por Giugiaro.

Atualmente o Uno tem a maior parte de suas vendas feita para empresas. No acumulado entre janeiro e abril, o hatch vendeu 10.042 unidades no total, sendo 9.670 carros para vendas diretas, o que representa 96% de seus emplacamentos. Com a perda de interesse do consumidor comum no Uno, é natural apostar que em breve a marca comece a abrir caminho para o Mobi e Argo, que possuem números de vendas bem mais expressivos no varejo.

Ouça o podcast do Motor1.com:

 

Siga o Motor1.com Brasil no Facebook

Siga o Motor1.com Brasil no Instagram

Envie seu flagra! flagra@motor1.com