Propulsor gera 125 cv e substitui o 1.6 de 132 cv usado na região

Na Europa, é comum ver carros maiores com motores relativamente pequenos. Um exemplo é o Toyota Corolla, lá oferecido com um 1.6 aspirado de quatro cilindros e 132 cv, ao contrário do 2.0 de 177 cv que temos no Brasil. Pois agora o sedã se prepara para receber um propulsor ainda menor: o 1.5 Dynamic Force de três cilindros e 125 cv no lugar do 1.6 usado até então, de forma a reduzir as emissões de poluentes.

O novo 1.5 Dynamic Force que será usado pelo Toyota Corolla é o mesmo da nova geração do Yaris vendida na Europa. Gera 125 cv a 6.600 rpm e 15,6 kgfm de torque a partir de 4.800 giros. Tem baixo peso e ocupa menos espaço dentro do cofre, tendo sido desenvolvido para ser usado nos modelos com a plataforma TNGA. A Toyota afirma que ele reduz o consumo e as emissões de CO2 em 17% se comparado ao 1.6 anterior.

Galeria: Novo Toyota Corolla Hybrid 2020 (Europa)

Para que se adeque ao Euro 5, este motor foi desenvolvido com injeção direta de combustível, possui taxa de compressão elevada e roda no ciclo Atkinson, com válvula de admissão e escape num ângulo de 41° (contra os 31° do motor antigo). A Toyota estima que a eficiência térmica seja de 40%. Usando o ciclo WLTP, este propulsor emite 127 e 139 g/km de CO2, enquanto o consumo fica entre 17,8 km/litro e 16,1 km/litro, na estrada e na cidade, respectivamente.

As opções de transmissão serão a manual de 6 marchas ou automática do tipo CVT com 10 marchas, esta última usada no Corolla nacional com motor 2.0. O Yaris utiliza esse motor também para a versão híbrida, o que não deve acontecer com o sedã, pois o Corolla europeu utiliza o mesmo conjunto que o brasileiro, com o 1.8 aspirado de 122 cv de potência combinada.