Marcas da Fiat-Chrysler terão mais uma picape, dois SUVs da Fiat, um novo da Jeep, quatro reestilizações e três novas gerações

O impacto da pandemia fez com que muitas fabricantes revissem seus investimentos, adiando o que poderia para resolver o problema de caixa, mas algumas mantiveram alguns de seus planos. É o caso da Fiat-Chrysler, que novamente reiterou que o investimento de R$ 16 bilhões será mantido, mas será alongado até 2025, dimensionando 12 lançamentos importantes para Fiat, Jeep e Ram, ainda que alguns modelos continuem previstos para até o final de 2021.

Em uma participação no podcast especial #ABPlanOn – Planejamento Automotivo, do site Automotive Business, Antonio Filosa, presidente da Fiat-Chrysler na América Latina, comentou um pouco sobre a situação da montadora. O executivo diz que o mercado brasileiro tem mostrado uma recuperação melhor do que o previsto, embora em uma velocidade menor do que a que a indústria precisava. Ainda assim, é o suficiente para ter mais otimismo com o futuro.

Galeria: Fiat SUV - Projeção

Este é um dos motivos que fez Filosa falar aos fornecedores que os investimentos da Fiat-Chrysler no Brasil serão mantidos, mas alongados até 2025 (antes era até 2024). Como o executivo já havia dito anteriormente, o valor de R$ 16 bilhões será usado para renovar totalmente a linha da Jeep e Fiat no país, além de adicionar novos produtos ao portfólio.

Segundo Filosa, o investimento foi feito para 25 “intervenções de produto”, algumas já realizadas e isso envolve algumas versões, como o Fiat Argo Trekking. Entre eles, estarão “12 importantes lançamentos”. O executivo argentino já apontou quais serão eles, citando duas picapes (a já lançada Fiat Strada e a Ram 1500); quatro reestilizações para a Fiat (Argo, Cronos, Mobi e Toro); três novos modelos com novas gerações; a renovação da linha da Jeep; e três SUVs, sendo dois da Fiat e um da Jeep.

Alguns deles foram atrasados em mais de seis meses, uma consequência da pandemia. Além de atrasar a renovação das fábricas no país, a FCA ainda teve que lidar com a paralisação de outros países como a Itália e China, de onde são importadas diversas peças. Filosa diz que todas as paralisações levaram a um acumulo de 9 meses de atraso, não só pela ausência de peças e parada nas obras das fábricas, como também no desenvolvimento dos veículos.

Galeria: Jeep de 7 lugares - Flagra

Já conhecemos boa parte dos planos. A Jeep trabalha em um SUV de 7 lugares, seu terceiro modelo a ser produzido em Goiana (PE) e que será o mais caro da empresa feito por aqui. Filosa deixou claro que ele será lançado no ano que vem, apesar dos atrasos. Já no caso da Fiat, veremos um crossover baseado no Argo e um modelo um pouco maior, mas sempre abaixo dos carros da Jeep. A outra picape será a Ram 1500, que já foi confirmada por executivos da empresa e era esperada para o 2º semestre deste ano.

Projeção: João Kleber Amaral