Presidente Pablo Di Si comentou que a paralisação consumiu dinheiro que seria usado em futuros projetos

Mostrada no Salão do Automóvel de São Paulo de 2018, a Volkswagen Tarok era um conceito de uma picape monobloco que ficaria abaixo da Amarok, para enfrentar a Fiat Toro. Desenvolvida no Brasil, era esperada como parte do próximo ciclo de investimentos da fabricante. Porém, ainda não há data para sua estreia. Pablo Di Si, presidente da VW América do Sul, revelou durante live com Motor1.com que a marca irá atrasar ou cancelar alguns projetos por causa da pandemia.

“Primeiro é um orgulho do time do Brasil ter uma picape mostrada no Salão de Nova York, depois mostrada no Salão de Frankfurt, lá na Alemanha”, afirmou Di Si, “é um projeto que nós tivemos a ideia, mas com a pandemia e o nosso fluxo de caixa, teremos que reavaliar todos os investimentos, 100% deles. Este carro, sim. Não estou falando de cancelar, mas alguns serão atrasados, possivelmente alguns serão cancelados, não sei se este aí. Mas teremos que tomar muito cuidado com nossa posição de caixa deste ano e dos próximos dois a três anos.”

Segundo o executivo, manter a operação da fabricante durante a pandemia, com concessionárias fechadas e fábricas paradas, fez a empresa congelar os investimentos para reavaliar no segundo semestre, aguardando o retorno da indústria. Pelas contas de Di Si, toda a indústria gastou R$ 50 bilhões dos caixas das empresas durante os três meses de paralisação, o que representa o equivalente ao plano de investimento de todas as montadoras do Brasil para quatro anos.

Como a Tarok não fazia parte do investimento atual, que será encerrado com o lançamento do SUV médio fruto do Projeto Tarek (que virá no primeiro trimestre de 2021), a picape acabou ficando sem um aporte para iniciar sua produção, mesmo que tenha sido bem aceita pelo público. E Di Si afirma que não é possível pedir dinheiro para a matriz nesta crise. “Acabou essa história, você se vira, meu amigo”, disse o executivo.

A Tarok seria uma picape rival da Fiat Toro, feita sobre a plataforma MQB para entrar em um segmento que está virando o alvo de diversas fabricantes. A Ford trabalha em um modelo que irá retomar o nome Maverick, previsto para o ano que vem e que será apresentado aqui no Brasil. Rumores também dizem que a Chevrolet também terá um representante na categoria, como parte da plataforma GEM que deu origem aos novos Onix e Tracker.

Galeria: Volkswagen Tarok Concept

Até antes da pandemia, a Volkswagen parecia ser a marca que estava mais próxima da entrada nesta categoria. O conceito da Tarok mostrado no Salão do Automóvel de 2018 estava praticamente pronto para produção e já tinha até motores definidos, usando o 1.4 TSI flex e o 2.0 turbodiesel, ambos de 150 cv e com câmbio automático de 6 marchas. Na melhor das hipóteses, só devemos ver a picape no Brasil em 2022, caso a marca consiga reabastecer os cofres para realizar um novo ciclo de investimentos.

Fotos: divulgação