Dois dos crossovers mais potentes do mundo resolvem as diferenças em uma corrida de arrancada

O Jeep Grand Cherokee Trackhawk era o SUV mais potente do mundo. Ele perdeu o título recentemente para o Dodge Durango SRT Hellcat por apenas 2 cv, já que o modelo da Dodge tem 719 cv. Ainda assim, 717 cv é muita coisa vinda do 6.2 V8 Hemi supercharged. Junte isso com o valor inicial de US$ 87.645 (R$ 470.215) nos EUA, e ele parece uma oferta bem melhor do que um SUV que custa US$ 222.004 (R$ 1,19 milhões).

Estamos falando do Lamborghini Urus, que tem "apenas" 650 cv. A preparadora Hennessey teve a oportunidade de colocar os dois lado a lado, sem qualquer modificação, e fazer uma corrida de arrancada para ver como estes números são traduzidos na vida real. Tenha em mente que, enquanto o Trackhawk tenha uma vantagem de 67 cv, ele também carrega 233 kg mais do que o SUV italiano.

Enquanto o Jeep tenha 2,4 kgfm a mais, ele também tem uma aerodinâmica pior do que o do Lamborghini, o que é muito importante em velocidades mais altas. O Trackhawk começou muito melhor na primeira corrida, mas o Urus foi capaz de alcançar e vencer a disputa. Na segunda prova, eles ficaram bem próximo, mas o Lamborghini acabou vencendo.

Algumas pessoas podem dizer que pagar US$ 134.000 a mais (R$ 719.821) para levar um Urus ao invés do Trackhawk não compensa, considerando que a diferença de desempenho foi bem pequena. No entanto, estes testes não mostram tudo, já que desempenho não é apenas no quarto de milha. Além de potência e velocidade, ainda há outros pontos como qualidade de produção, tecnologia, refinamento e luxo - áreas em que há uma diferença óbvia entre os dois. São coisas a levar em consideração e justificam o Lamborghini custar duas vezes mais do que o Jeep.

E por que a Hennessey estava com esses dois carros? A preparadora disse que irá modificar os dois. O Trackhawk terá um tuning para chegar até cerca de 1.200 cv, enquanto o Urus receberá uma modificação não revelada, dizendo apenas que terá mais potência.