Crossover será lançado no Japão neste ano e na Europa em 2021, com motor 1.5 de 116 cv e versão híbrida

Com atraso por conta da pandemia, o novo SUV compacto da Toyota baseado no Yaris enfim é revelado oficialmente pela fabricante. Era para ele ter sido mostrado em março, durante o Salão de Genebra (Suíça), que acabou cancelado. Batizado como Toyota Yaris Cross, ele não esconde o parentesco com o hatch, mas tenta não ser apenas uma variante aventureira. Ele fará sua estreia no Japão no 2º semestre deste ano, quando sua chegada à Europa acontecerá somente em 2021, sendo produzido na França.

Apesar do parentesco com o novo Yaris europeu ser óbvio (diferente do brasileiro vindo da Tailândia), os designers da Toyota trabalharam para que o B-SUV fosse diferente do hatchback a ponto de ter uma identidade própria. Tanto que vai além de uma mudança visual, com alterações até mesmo no tamanho do carro para oferecer mais espaço.

Galeria: Toyota Yaris Cross

Os designers mexeram bastante na frente, alterando completamente a grade. No hatch, ela é enorme e vai até o para-choque, enquanto no Yaris Cross ela cobre apenas um pouco. Isso levou a um novo desenho para o para-choque, principalmente na região dos faróis de neblina, agora na horizontal e com uma área menos esculpida. Os faróis também foram redesenhados e tem um novo formato menos ousado do que no compacto.

Toyota Yaris Cross
Toyota Yaris Cross

Passando para a lateral, a mudança é óbvia, com a adição de proteção plástica nas caixas de roda e na parte de baixo das portas. É neste ângulo que fica claro como o modelo está maior, principalmente na traseira. Falando nisso, a parte de trás tem alterações no mesmo esquema que a frente, mexendo alguns detalhes mas sem sair do tema visto no hatch. Por exemplo, as lanternas ainda usam um acabamento escurecido, mas as luzes em LED formam uma linha horizontal e o formato geral da peça é bem mais simples. A tampa do porta-malas teve que ser redesenhada por conta do aumento no tamanho e o para-choque tem duas passagens de ar nas laterais. Já o interior é o mesmo do Yaris europeu.

É feito sobre a plataforma modular TNGA-B, variante para modelos compactos abaixo do Corolla. Ele tem os mesmos 2,56 metros de entre-eixos do Yaris, mas é 240 milímetros mais longo, 90 mm mais alto, 20 mm mais largo e possui 30 mm mais de altura em relação ao solo. São 60 mm a mais no balanço dianteiro e 180 mm no balanço traseiro. Isso significa que medirá 4,18 m de comprimento, 1,76 m de largura e 1,56 m de altura. 

Como comparação, o Jeep Renegade tem 4,23 m de comprimento e 2,57 m de entre-eixos, enquanto o Volkswagen T-Cross mede 4,19 m de comprimento e 2,65 m de entre-eixos. Ele está mais próximo de modelos como o Citroën C4 Cactus, com 4,17 m de comprimento e 2,60 m de entre-eixos (e que será um de seus rivais na Europa).

Como é construído na mesma plataforma do Yaris, o Yaris Cross pode aproveitar a motorização do hatchback. No caso, o crossover será vendido na Europa somente com o 1.5 de três cilindros em ciclo Atkinson, combinado a um motor elétrico e baterias de baixa capacidade. Entregará uma potência combinada de 116 cv, com versões de tração dianteira ou integral. A fabricante diz que ele tem um rendimento térmico 40% superior do que um diesel equivalente, emitindo menos de 90 g/km de CO2 na versão de tração dianteira e menos de 100 g/km no modelo de tração integral. A mídia japonesa diz que ele terá uma variante 1.5 não-eletrificada por lá. A transmissão pode ser a manual de 6 marchas ou CVT.

O Yaris Cross utilizará o sistema de tração integral AWD-i. Este sistema estreou no Prius reestilizado, posicionando o motor elétrico no eixo traseiro para mover as rodas, enquanto a unidade a combustão cuida das rodas dianteiras. Caso ele funcione como no Prius, o Yaris Cross irá ativar a tração integral nas saídas, em velocidades de até 10 km/h, além de situações nas quais as rodas dianteiras estão perdendo tração. A operação é automática e apenas nestas situações, sem atuar em condições normais.

A Toyota tem muita esperança no Yaris Cross, pois planeja fabricar mais de 150 mil unidades por ano na fábrica em Valenciennes (França). Ele será posicionado abaixo do C-HR (que é baseado no Corolla) e, no caso do mercado japonês, acima do Raize (com uma plataforma da Daihatsu). Mas ficará apenas na Europa e Japão, pois a marca trabalha em um modelo específico para os norte-americanos, baseado no Corolla. No Brasil, também teremos um SUV compacto da marca, previsto para ser feito em Sorocaba (SP) a partir de 2021, usando a base e motores do Corolla.