Ambos terão a Índia como primeiro mercado, mas poderão ganhar status global

Motivada pelos resultados animadores que vem conquistando na Índia, a Renault não tem poupado investimentos quando o assunto é o desenvolvimento de novos veículos. Prova disso são os intensos trabalhos em torno do projeto que originará um inédito SUV de entrada voltado para mercados emergentes. Conhecido pelo codinome HBC, o modelo chegará ao mercado ainda neste ano e tomará como base a plataforma CMF-A+ do Kwid. No entanto, ele não será a única novidade. Conforme explica a imprensa indiana, há planos também para o lançamento de um sedã de baixo custo pensado para enfrentar Maruti Suzuki Dzire (líder de vendas), Honda Amaze, Ford Aspire (versão encurtada do Ka Sedan) e Hyundai Xcent.

Galeria: Flagra: Renault HBC (SUV do Kwid)

Como já dito, o SUV do Kwid chegará ao mercado com a missão de atuar abaixo do Duster, rivalizando na Índia com Hyundai Venue, Maruti Suzuki Vitara Brezza e Tata Nexon. A plataforma será a conhecida base modular CMF-A+, a mesma do Kwid e da minivan Triber. Assim como os principais concorrentes, terá menos de 4 metros de comprimento (característica que rende vantagens tributárias na Índia) e apostará no design arrojado como principal chamariz. Nesse sentido, o HBC (como é chamado internamente o projeto) terá dianteira agressiva com conjunto óptico divido em dois níveis, rodas de liga leve de 16 polegadas, rack no teto e as tradicionais molduras plásticas nas caixas de roda. A estreia acontecerá ainda neste ano.

O sedã seguirá a mesma estratégia e também terá comprimento limitado aos 4 metros, valendo-se dessa característica para ter preços competitivos. O visual deverá seguir a mais recente filosofia estética da Renault, com traços inspirados na reetilização do Kwid, no desenho da Triber e até no visual da próxima geração do Logan (já flagrada em testes). Sob o capô, o conjunto mecânico também será emprestado dos irmãos: motor 1.0 de três cilindros a gasolina e câmbio manual de 5 marchas. Posteriormente, assim como na Triber, a Renault ofertará um novo propulsor 1.0 turbo e acrescentará a opção de transmissão automatizada AMT. O lançamento é aguardado para 2021.

Dacia Logan sketch

"Continuaremos a inovar. Uma de nossas armas secretas virá em um segmento que não existe agora. Detalhes não posso compartilhar agora. Estamos apostando em sub-segmentos ou variantes que não existem agora, assim como fizemos com o Triber", disse Fabrice Cambolive, presidente da Renault para África, Oriente Médio e Índia-Pacífico. Só com o SUV HBC, por exemplo, a expectativa é ampliar as vendas anuais no mercado indiano em 50 mil unidades. Atualmente, a marca conta com 10% de market-share.

Projeção: IAB

Ouça nosso podcast: