Chamado afeta diversos modelos, incluindo o Corolla produzido de 2011 a 2019

Responsáveis por motivar a maioria dos recalls anunciados globalmente nos últimos anos, airbags defeituosos acabam de afetar diretamente mais de 6 milhões de veículos das marcas Toyota e Honda.

No primeiro caso, a marca convoca de volta às concessionárias cerca de 3,4 milhões de unidades, das quais 2,9 milhões foram vendidas nos Estados Unidos, todas com airbags da TRW (agora propriedade da ZF). Dependendo do caso, um defeito eletrônico pode fazer com que as bolsas de ar não sejam acionadas em caso de acidentes, comprometendo diretamente a segurança dos ocupantes. São afetados os modelos Corolla (2011-2019), Matrix (2011-2013), Avalon (2012-2018) e Avalon Hybrid (2013-2018). Desses, apenas o Corolla é vendido no Brasil e desde já a marca adianta que o modelo nacional não apresenta tal defeito.

Galeria: Toyota Corolla Nightshade

No caso da Honda, são 2,7 milhões de veículos afetados, sendo 2,4 milhões nos EUA e 300 mil no Canadá. Diferente da Toyota, o problema está relacionado aos airbags mortais produzidos pela empresa Takata. Segundo informado, o deflagrador (peça que integra o sistema) pode se degradar após longos períodos de variações de temperatura e alta umidade. Dessa forma, o componente pode se romper em caso de colisão, provocando a dispersão de fragmentos de metal por toda a cabine. Há risco de danos materiais, lesões físicas graves ou até mesmo fatais, tanto ao motorista quanto aos ocupantes do veículo. A Takata é a mesma empresa que forneceu componentes defeituosos para milhares de veículos de outras marcas, num total de 42 milhões de veículos já convocados.

A lista de veículos envolvidos afeta modelos da Acura produzidos de 1996 a 2003, bem como os Honda Accord (Coupé e Sedan), Civic (Coupé e Sedan), CR-V, Odyssey e EV-1 de 1997 a 2001, além da minivan Isuzu Oasis 1998-1999, rebadge feito sobre a Odyssey.