Objetivo é transferir clientes para segmentos mais rentáveis, explicou Mike Manley

Apesar de sua vocação histórica pautada em décadas de atuação no segmento, a Fiat poderá abandonar o mercado de veículos compactos de entrada em um futuro próximo. Pelo menos foi o que disse recentemente o CEO do grupo FCA, Mike Manley, durante entrevista concedida à revista britânica Autocar. De acordo com o executivo, o objetivo é fazer uma migração de clientes para categorias mais rentáveis, como o chamado segmento B. "Em um futuro muito próximo, você nos verá focando mais neste segmento de maior volume e margem mais ampla, e isso envolverá uma mudança no segmento de sub-compactos", explicou.

Galeria: Fiat Panda 2017

A decisão, mesmo considerada contraditória para a Fiat, não é inédita levando em conta fabricantes europeias. Marcas como Ford, Opel e Vauxhall já abandonaram o segmento de mini carros no Velho Continente e tudo indica que o grupo Volkswagen não fará sucessores diretos para os modelos Up!. Skoda Citigo e Seat Mii. A razão para a debandada está diretamente relacionada aos altos custos de desenvolvimento e às regras anti-poluição cada vez mais rígidas dentro da União Européia, que comprometem diretamente os índices de rentabilidade de uma categoria que tem como premissa básica custar barato.

Fiat Concept Centoventi
Fiat Concept Centoventi

No caso da Fiat, a saída do segmento coloca em xeque o futuro do Panda, considerado um dos modelos mais tradicionais da marca na Europa. A empresa até ensaiou o lançamento de um nova geração com a apresentação do conceito Centoventi, no Salão Automóvel de Genebra em março, mas os planos parecem ter mudado radicalmente. Por outro lado, a nova estratégia poderá trazer de volta ao mercado o Punto, já que o objetivo é fortalecer o chamado segmento B. Nada ainda é oficial, mas a decisão parece ter sido diretamente influenciada pela recente fusão com o grupo PSA, que dará aos italianos acesso à plataforma dos novos Peugeot 208 e Opel Corsa - o que facilita o desenvolvimento de um provável novo Punto.

Além disso, está garantido o futuro do pequeno 500, que deve chegar ao mercado em nova geração por volta de 2020. Entre outras novidades, terá versões elétricas e uma variante mais espaçosa com quatro portas,  chamado de Giardiniera.

Fonte: Autocar