Proposta prevê aplicação de "restrições mais duras" para melhorar segurança ao volante

O uso de aparelhos de telefonia celular ao volante já é terminantemente proibido em vários países mundo afora, mas particularmente no Reino Unido essa restrição poderá se tornar ainda mais dura. Isso porque foi apresentado recentemente na chamada Câmara dos Comuns (equivalente à nossa Câmara dos Deputados) um projeto que prevê a proibição do uso de celulares também no caso de chamadas de viva-voz. Segundo o relatório, a mudança tem como objetivo ampliar o nível de segurança e reduzir o número de acidentes, tendo em vista as estatísticas crescentes envolvendo colisões no país. Ao mesmo tempo, o texto também recomenda o devido cumprimento das leis já existes envolvendo esse tipo de proibição.

Galeria: Celular ao volante

Como justificativa, o projeto cita evidências de que o uso do viva-voz cria os mesmos riscos de colisão de uma chamada convencional e apresenta números de de 2017 que mostram o registro de 773 acidentes no país, todos decorrentes de uso do telefone ao volante. Nesse referido ano 43 pessoas morreram e 135 ficaram gravemente feriadas. Como resultado, o comitê que analisa o projeto recomendou que o governo “explore as opções” para proibições de telefones viva-voz. Lilian Greenwood, presidente do Comitê de Transporte da Câmara dos Comuns, disse que é necessário mais educação para os motoristas e que o Reino Unido precisa se livrar da “impressão enganosa” de que ligações por viva-voz são totalmente seguras.

Ao mesmo tempo, o relatório também recomendou melhorias no cumprimento das leis existentes sobre telefonia móvel. O comitê disse que, embora a imposição seja "essencial" para melhorar a segurança, a taxa de fiscalização "caiu" em mais de dois terços desde 2011, e o governo deve trabalhar com a polícia para "reforçar" a aplicação e utilizar melhor a tecnologia disponível.

Você também pode acompanhar as novidades no Instagram do Motor1.com Brasil

Fotos: Divulgação