Propulsor foi classificado como um dos mais flexíveis e versáteis já produzidos

A Audi comemora a conquista do Prêmio Internacional Motor do Ano na categoria de 150 cv a 250 cv pelo conhecido propulsor 2.0 TFSI. O troféu foi concedido por uma comissão internacional composta por 70 jornalistas especializados no setor automotivo que classificaram o powertrain como um dos "mais flexíveis e versáteis já produzidos”.

O motor, cuja sigla representa a abreviação de injeção direta turbo, está presente em diversos modelos da empresa e no Brasil pode ser visto em versões de A3, A4, A5, A6, Q3, Q5 e TT. Além de ser usado convencionalmente como como motor a gasolina, é também empregado em sistemas híbridos plug-in e para operações com gás natural.

Entre 2005 e 2009, a Audi ganhou na categoria de 2 litros com o 2.0 TFSI e entre 2010 e 2018, a marca chegou ao topo com o motor 2.5 TFSI de cinco cilindros. Após a mudança de categorias de cilindros para cavalos em 2019, o motor de quatro cilindros e dois litros novamente sobe ao pódio. “Introduzimos o primeiro TFSI no mercado em 2004. Desde então, alcançamos a vitória na categoria correspondente todos os anos”, disse Hans-Joachim Rothenpieler, membro do conselho de administração para desenvolvimento técnico da Audi AG. No mercado internacional, a marca foi pioneira na produção da tecnologia downsizing em larga escala a partir de 2004, começando pelo A3 Sportback 2.0 TFSI.

O motor é considerado adequado tanto para instalações longitudinais em modelos maiores da Audi quanto instalações horizontais, incluindo em outras marcas do grupo Volkswagen. Na versão mais recente, o propulsor oferece uma tecnologia especial de eficiência Audi, conhecido como processo de combustão ciclo-B, que foi desenhado especialmente para carga parcial. Co estilo de condução moderado, a marca diz que é possível alcançar a eficiência de um motor de poucos cilindros com dinâmica de um motor grande em condução esportiva.

Fonte: Audi