Se por alguma razão você acha que o McLaren Senna de rua é manso demais, a versão de corrida tem algo a mais

A McLaren já tem experiência de pegar uma máquina como o Senna e transformá-lo em algo realmente extremo. Revelado há cerca de um ano como um conceito, o Senna GTR está sendo mostrado em sua versão final exclusivamente para as pistas com uma produção limitada a apenas 75 unidades - todas já vendidas, aliás. Ao lado da versão de rua e aos modelos Speedtail da Ultimate Series, o GTR acompanha outros carros de corrida como o P1 GTR e o icônico F1 GTR. 

Com muitos números, o Senna GTR tem 825 cv e 81,6 kgfm de torque do motor 4.0 V8 biturbo da marca. Para ter mais 25 cv do que o carro de rua, os engenheiros removeram o segundo catalisador para reduzir a contra-pressão e reprogramaram a central eletrônica. Removendo o catalisador, a McLaren diz que o ronco do esportivo ficou ainda mais agressivo quando comparado ao Senna normal. 

Enquanto o conceito tinha as saídas de escape nas laterais, em frente as rodas traseiras, o modelo de produção do Senna GTR utiliza as saídas na traseira como a versão de rua. As saídas laterais eram bem legais, mas a McLaren explica que decidiu as remover para a traseira para garantir uma rota de saída mais rápida e curta para os gases do escape. Além disso, isso reduz a complexidade e o peso final. 

Falando nisso, a besta para as pistas pesa apenas 1.188 kg, ou 10 kg a menos que o carro de rua, chegando a uma relação peso potência de 695 cv/tonelada, a melhor de qualquer carro da McLaren. Não apenas isso, mas as mudanças na carroceria do McLaren Senna GTR geram 1.000 kg de downforce, 200 kg a mais que a de rua. O carro tem o mesmo downforce do Senna em uma velocidade 15% menor, resultado do conjunto aerodinâmico retrabalhado. 

Construído exclusivamente para as pistas, não surpreende que a McLaren tenha eliminado quase todos os itens de conforto, mas o ar-condicionado ainda está lá. O Senna GTR traz sistemas como o data logger e rádio de comunicação, além do sistema de extintores e macaco pneumático embutido. Sem esses itens essenciais para as pistas, o Senna GTR seria ainda mais leve. Além disso, o Senna GTR é o McLaren mais rápido da empresa, fora o de Formula 1. 

Fotos: divulgação