Inglês aproveita safety car virtual para fazer seu único pitstop e vence corrida sem grandes contratempos; Hulkenberg leva susto com acidente

Lewis Hamilton conseguiu fechar a temporada de 2018 com chave de ouro. O inglês venceu sem grandes sustos o GP de Abu Dhabi, prova de encerramento do campeonato, e subiu no topo do pódio pela 11ª vez no ano.

Sebastian Vettel terminou com o segundo lugar, enquanto que Max Verstappen completou o pódio. Daniel Ricciardo fez uma estratégia alternativa para tentar tirar proveito de uma possível chuva, mas ficou com o quarto lugar, ainda à frente de Valtteri Bottas.

Fernando Alonso completou sua última prova na F1 fora da zona de pontuação, em 11º. 

A corrida:

Não houve mudanças nas primeiras posições após a largada: Hamilton manteve à ponta, seguido de Bottas, Vettel e Raikkonen. Leclerc começou forte com os pneus hipermacios e superou Ricciardo para ir ao quinto lugar, enquanto que Verstappen, que partiu em sexto, despencou na ordem e caiu para o 10º lugar.

Ainda na primeira volta, Hulkenberg recebeu um toque em sua roda traseira direita por parte de Romain Grosjean e capotou por várias vezes até parar na barreira de proteção. Demorou alguns minutos para que o alemão conseguisse sair do carro, mesmo que ele reportasse estar bem pelo rádio. 

 

Photo by: Simon Galloway / Sutton Images

O lance provocou a entrada do safety car, que permaneceu na pista por três voltas. Na relargada, Verstappen partiu para cima de Ocon e conseguiu a ultrapassagem para ir ao oitavo lugar, mas ele acabou engolido pelas duas Force India na reta seguinte.

Pouco depois, Verstappen novamente atacou Ocon e encontrou resistência do antigo rival, mas conseguiu consumar a ultrapassagem e enfim assumir o oitavo posto.

Leclerc continuava com seu início forte de hipermacios e superou Raikkonen para ir para quarto. Na abertura da sétima volta, no entanto, o finlandês abandonou a prova com problemas mecânicos, encostando seu carro na reta dos boxes e provocando um safety car virtual.

Hamilton aproveitou a ocasião para fazer seu primeiro pitstop, utilizando os pneus supermacios. Leclerc também fez o mesmo e adotou os pneus demarcados em vermelho.

Bottas, então, passava a liderar a prova, à frente de Vettel, Ricciardo e Verstappen. Hamilton vinha no quinto lugar, já com um pitstop realizado.

Hamilton atacou Verstappen na relargada, mas o holandês, com pneus mais macios, resistiu e se manteve à frente.   

Bottas conseguia abrir pouco a pouco vantagem para Vettel, chegando aos 2s7. O alemão, então, fez seu pitstop na volta 20 e retornou com o sexto lugar, atrás de Ocon – ele fez a ultrapassagem no francês pouco depois e ficou 15s atrás de Hamilton, o quarto.

O próximo que fez seu pitstop foi Verstappen, na volta 17. O holandês seguiu a tática “padrão” ao colocar pneus supermacios para, quem sabe, ir até o fim da prova sem precisar fazer mais um pitstop. Dos ponteiros, faltava apenas Ricciardo parar, sendo que o australiano visivelmente foi por uma estratégia diferente: quis prolongar seu primeiro stint caso chegasse a chuva que as equipes esperavam.

Algumas gotas de fato chegaram a cair, mas não o suficiente para molhar a pista. Assim, Ricciardo teve de parar na volta 34 para colocar supermacios, com a vantagem de que poderia forçar muito mais o ritmo do que seus rivais imediatos – uma vez que seus pneus teriam de durar menos para chegar até o fim da prova.

Assim, com todos os pitstops realizados, Hamilton retomou a primeira posição, 5s à frente de Bottas. Vettel veio em terceiro, seguido de Verstappen e Ricciardo.

Na volta 35, Vettel partiu para cima de Bottas, que cometeu um erro na chicane, e usou o DRS para assumir a segunda posição.

Verstappen, então, passou a ameaçar o finlandês, sendo que Ricciardo vinha mais rápido alguns segundos atrás. Bottas errou novamente na chicane, mas cruzou pela área de escape para permanecer à frente. Na volta 38, Verstappen armou novamente o ataque e conseguiu passar, sem antes tocar rodas com a Mercedes. Ricciardo fez o mesmo na volta seguinte e superou Bottas para ir ao quarto lugar.

Algumas mudanças ocorreram na zona de pontuação nas voltas finais. Ocon e Gasly abandonaram com problemas mecânicos, que promoveu Magnussen ao 10º lugar.

Classificação final:

Cla   # Piloto Chassi Motor Voltas Tempo Diferença Intervalo km/h Pits Abandono Pontos
1   44 United Kingdom Lewis Hamilton Mercedes Mercedes 55 -       1   25
2   5 Germany Sebastian Vettel Ferrari Ferrari 55 2.581 2.581 2.581   1   18
3   33 Netherlands Max Verstappen Red Bull TAG 55 12.706 12.706 10.125   1   15
4   3 Australia Daniel Ricciardo Red Bull TAG 55 15.379 15.379 2.673   1   12
5   77 Finland Valtteri Bottas Mercedes Mercedes 55 47.957 47.957 32.578   2   10
6   55 Spain Carlos Sainz Jr. Renault Renault 55 1'12.548 1'12.548 24.591   1   8
7   16 Monaco Charles Leclerc Sauber Ferrari 55 1'30.789 1'30.789 18.241   1   6
8   11 Mexico Sergio Perez Force India Mercedes 55 1'31.275 1'31.275 0.486   1   4
9   8 France Romain Grosjean Haas Ferrari 54 1 L 1 Lap 1 Lap   1   2
10   20 Denmark Kevin Magnussen Haas Ferrari 54 1 L 1 Lap 0.000   1   1
11   14 Spain Fernando Alonso McLaren Renault 54 1 L 1 Lap 0.000   1    
12   28 New Zealand Brendon Hartley Toro Rosso Honda 54 1 L 1 Lap 0.000   1    
13   18 Canada Lance Stroll Williams Mercedes 54 1 L 1 Lap 0.000   1    
14   2 Belgium Stoffel Vandoorne McLaren Renault 54 1 L 1 Lap 0.000   1    
15   35 Russian Federation Sergey Sirotkin Williams Mercedes 54 1 L 1 Lap 0.000   1    
16 dnf 10 France Pierre Gasly Toro Rosso Honda 46         1 Retirement  
17 dnf 31 France Esteban Ocon Force India Mercedes 44         1 Retirement  
18 dnf 9 Sweden Marcus Ericsson Sauber Ferrari 24           Retirement  
19 dnf 7 Finland Kimi Raikkonen Ferrari Ferrari 6           Retirement  
20 dnf 27 Germany Nico Hulkenberg Renault Renault             Collision