Greve dos caminhoneiros afeta abastecimento de peças e impede trabalho nas fábricas

Depois de afetar parcialmente as atividades em pelo menos 16 fábricas, o desabastecimento de peças causado pela greve dos caminhoneiros acaba de comprometer diretamente toda a produção de veículos do Brasil. Em nota, o presidente da Anfavea, Antonio Megale, confirmou que a partir desta sexta-feira (25) todas as montadoras instaladas no país suspenderão os trabalhos nas linhas de montagem. Na prática, nenhum carro será fabricado no país até que o abastecimento de componentes seja normalizado.

Leia também:

 

“A partir do dia 25, todas as montadoras de veículos no Brasil estarão com suas linhas de produção paradas. A greve dos caminhoneiros afetará significativamente nossos resultados tanto para as vendas, quanto para a fabricação e exportação. A indústria automobilística gera de impostos mais de R$ 250 milhões por dia e, por isso, esta paralisação gerará forte impacto na arrecadação do País”, afirmou Megale.

 
Chevrolet Cruze exportação

Além da falta de componentes que impede diretamente a produção, as montadoras também enfrentam problemas para escoar unidades já fabricadas. Sem caminhões para distribuir os estoques para as concessionárias, os pátios estão cheios. O governo chegou a anunciar na noite de ontem um acordo com representantes dos caminhoneiros, mas a maioria da classe não acatou a proposta e a greve segue por todo o país.

Fotos: Divulgação

Volkswagen - Fábrica de Taubaté (SP)