Importadora decide não investir novamente na marca chinesa, para focar os esforços na Kia

A chinesa Geely deixou nosso mercado em definitivo. O Grupo Gandini, importadora oficial da fabricante no Brasil, anuncia que desistiu de voltar a vender os carros chineses, preferindo focar todos os esforços na Kia, também representada por Gandini. A Geely começou a operar no país em 2014 e teve suas vendas interrompidas em 2016.

Leia também:

“Entendemos que depois de um longo período de paralisação do setor de veículos importados e, agora, renascendo sem a trava de 4.800 carros anuais imposta pelo programa Inovar-Auto, precisamos direcionar todos os nossos esforços na Kia Motors do Brasil, marca que já está consolidada e reconhecida pelos consumidores brasileiros”, explica José Luiz Gandini, presidente do Grupo Gandini.

Galeria: Teste CARPLACE: Geely GC2 e JAC J2 fazem duelo "China in Box"

No curto período em que esteve no Brasil, a Geely vendeu dois modelos. Começaram com o sedã EC7, por R$ 49.990 e equipado com motor 1.8 16V de 130 cv. Entrava no mesmo segmento que o Chevrolet Cobalt. Meses depois foi a vez do compacto GC2, equipado com o 1.0 de 68 cv e vendido por R$ 29.990. Apesar dos preços agressivos, era praticamente ignorada pelo mercado. A fabricante emplacou 1.019 unidades nos dois anos de operação. Na época em que Gandini encerrou as vendas, culpou a alta do dólar e a crise do setor automotivo.

Fotos: Divulgação e Motor1.com

Galeria: Volta Rápida: Geely EC7 traz design e segurança para não ser "mais um chinês"

Foto de: Julio Cesar
Envie seu flagra! flagra@motor1.com