Picape estreou com proposta intermediária entre pequenas e médias

À venda no mercado brasileiro desde fevereiro de 2016, a picape Fiat Toro alcança nesta semana a marca histórica de 100 mil unidades entregues. Nascida como versão de produção do conceito FCC4, apresentado no Salão do Automóvel de 2014, o modelo foi um dos primeiros a apostar no porte intermediário como nova proposta para o segmento e só não inaugurou, de fato, o novo nicho porque a Renault foi mais rápida e oficializou a chegada da Duster Oroch poucos meses antes. Ainda assim, foi classificada como SUP (Sport Utility Pick-up) e rapidamente caiu no gosto do consumidor.

Leia também:

Fiat Toro Blackjack

Atualmente, emplaca todo mês algo em torno de 4 mil exemplares e só não vende mais que a irmã menor Strada, líder isolada do segmento. Em 2017, por exemplo, acumulou 50.723 emplacamentos, contra 54.870 da pequena.

É vendida com motores 1.8 E.torQ Evo de 139 cv, 2.4 Tigershark de 186 cv e 2.0 turbodiesel Multijet de 170 cv. O câmbio manual foi excluído da linha 2019, permanecendo as caixas automáticas Aisin de 6 marchas e ZF de 9 posições (esta última exclusiva dos propulsores mais potentes). A gama de versões inclui os acabamento Endurance, Freedom, Blackjack e Volcano, com preços que variam de R$ 90.990 a R$ 142.990.

Um detalhe curioso diz respeito aos aumentos seguidos nos preços praticados nestes dois anos pós-lançamento. Em 2016, por exemplo, os valores oscilavam entre R$ 76.500 e R$ 116.500.

Fotos: Divulgação e Arquivo Motor1.com

Galeria: Fiat Toro Freedom 1.8 2018