Modelo foi surpreendido em testes próximos à fábrica de Goiana (PE)

Não é segredo para ninguém que a Jeep trabalha na primeira reestilização do Renegade. O modelo já foi flagrado em testes na Europa e, inclusive, teve a nova dianteira praticamente revelada em uma imagem vazada na internet. A novidade é que agora a FCA começou a testar o modelo no Brasil, indicando que sua estreia por aqui não deve demorar para acontecer. Quem apostar no Salão do Automóvel, em novembro, pode se dar bem.

Leia também:

O flagra foi feito pelos nossos colegas do site carangos.pb em Pernambuco, nas proximidades da fábrica de Goiana. A camuflagem leve deixa claro que as mudanças visuais serão discretas. Com design muito particular, o Renegade terá novidades apenas em grade, para-choques, faróis e lanternas, e também poderá incluir rodas com desenho inédito. 

Como mostra a imagem abaixo, a grade vai ganhar fendas mais largas e os faróis terão novo desenho interno, enquanto os faróis de neblina serão trazidos mais para dentro e ficarão mais afastados das luzes de seta. Atrás, ainda não dá para saber como ficarão as lanternas, mas no máximo elas terão outro arranjo interno de luzes, pois não haverá mudanças na carroceria. 

Por dentro, haverá uma nova central multimídia com tela maior, emprestada do Compass. 

Também ainda não será desta vez que o Renegade vai passar por mudanças mecânicas. Isso porque o novo motor 1.3 Firefly turbo só ficará pronto entre o fim de 2019 e o começo de 2020, e vai estrear na dupla Argo/Cronos. Pelo que apuramos, terá cerca de 160 cv e 23,5 kgfm com etanol, bem superior ao atual 1.8 aspirado de 139 cv e 19,3 kgfm que ainda será usado por um tempo. As versões a diesel manterão o 2.0 Multijet de 170 cv e 35,7 kgfm, sempre ligado ao câmbio automático de 9 marchas e tração 4x4. 

Lançado no mercado brasileiro em 2015, o Renegade chegou a disputar a liderança do segmento de SUVs compactos com o Honda HR-V. Mas perdeu espaço após a chegada do irmão maior, Compass, no ano seguinte. Será que a reestilização para a linha 2019 pode ajudar a recuperar o fôlego inicial?

Fotos: carangos.pb e arquivo Motor1.com