Segundo Enrico Galliera, chefe comercial e de marketing da Ferrari, bastou enviar a chave e uma pergunta

Se você acha que sucesso é o que a Renault conseguiu com o Renault Kwid, que passou de 400 unidades de pré-venda para 10.000, precisa conhecer como todas as 200 unidades do Ferrari LaFerrari Aperta foram vendidos. Segundo uma entrevista de Enrico Galliera, chefe comercial e de marketing da Ferrari, ao site australiano Drive, foi mel na chupeta. Bastou enviar uma chave de Ferrari para 200 compradores selecionados pela marca em uma caixinha. E a pergunta sobre o interesse destes clientes em levar o conversível para casa. Todos disseram "sim".

Leia também:

Nada fora do esperado. Aliás, teve gente disputando o carro a tapa com a Ferrari. O bilionário Preston Henn, morto em maio deste ano, processou a marca por não vender a ele o Aperta. O magnata David Lee, por sua vez, chorou a sites e redes sociais por ter sido deixado de fora mesmo com uma coleção de Ferrari de US$ 50 milhões. Mesmo depois de ele ter encomendado 4 novos modelos da marca só para ficar mais bem cotado. "Temos uma demanda muito mais alta do que a disponibilidade. Com isso, o que fazemos é identificar critérios para premiar bons clientes. Consideramos os modelos especiais como um presente a nossos clientes", diz Galliera.

 

Ferrari LaFerrari Aperta at 2016 Paris Motor Show

 

Pode parecer exagero, mas há fila de espera de mais de 3 anos até por um Ferrari mais comum, como um 488 GTB ou mesmo um California T. Segundo o executivo, isso acontece porque os Ferrari são vendidos em muitos novos mercados. E muito mais gente tem o dinheiro necessário para comprar supercarros. Só falta sabermos como entrar para essa turma...

 

Fonte: Drive

Ferrari LaFerrari Aperta no Salão de Paris