Garagem CARPLACE: Rodando 500 km com o C30 2.0 2011

Após receber o C30, não foi preciso nenhuma desculpa para cair na estrada com o modelo. Logo no primeiro dia de contato, uma viagem de São Paulo até Indaiatuba mostrou do que o modelo é capaz. Confira as impressões ao dirigir o C30.
Garagem CARPLACE: Rodando 500 km com o C30 2.0 2011
Dotado de ajustes de profundidade e altura do volante, aliado aos ajustes do banco, encontrar a posição ideal para dirigir é fácil. Os retrovisores também possuem ajuste elétrico. O único detalhe que faltou no C30 2.0 foi um retrovisor interno eletrocrômico. Tudo ajustado, tanque cheio, hora de cair na estrada. Ao iniciar os primeiros quilômetros com o C30, algumas virtudes já começam a aparecer: respostas rápidas, engates perfeitos do câmbio, excelente isolamento acústico e um bom sistema de som. O motor do Volvo C30 é um quatro cilindros de 2 litros com 145 cv e 18,9 kgf.m de torque, que associado ao câmbio manual de cinco marchas, possibilita acelerar o modelo de 0 a 100 km/h em 9,4 segundos. Na estrada, o motor responde muito bem ao pedal do acelerador. O isolamento acústico também é um dos destaques do modelo e não deixa o barulho do motor invadir a cabine, mas possibilita ouvir o ronco de forma leve.
Garagem CARPLACE: Rodando 500 km com o C30 2.0 2011
Como conta com controle dinâmico de tração e estabilidade (DSTC), o Volvo C30 é um carro que fica "colado" no chão. Mesmo em altas velocidades, o carro passa muita segurança em curvas com inclinação mínima da carroceria, e que auxiliado com o controle de estabilidade e pelas rodas de 17 polegadas, mantém sua trajetória sem o menor desvio. Os freios ABS, quando acionados em uma simulação de emergência, cumpriu seu papel com eficiência sem desvio de trajetória.
Garagem CARPLACE: Rodando 500 km com o C30 2.0 2011
Em trecho urbano, o Volvo C30 oferece boa agilidade até em baixas rotações. Mesmo contando com rodas de 17 polegadas, o conforto interno predomina até mesmo em asfalto de alta rugosidade, mantendo sempre um baixo nível de ruído. Além do desempenho e estabilidade, outro grande destaque deste motor 2.0 é o seu consumo. Mesmo pisando forte, com trocas de marchas sempre acima de 3.500 rpm, a média de consumo entre estrada e cidade no final permaneceu em bons 9,8 km/litro de gasolina. Motoristas com o pé mais leve podem conseguir médias ainda melhores.
Garagem CARPLACE: Rodando 500 km com o C30 2.0 2011
Em resumo, é um carro que agrada para quem busca um desempenho interessante para esta faixa de potência (145 cv), com muita segurança, conforto a bordo e uma média de consumo relativamente boa. Confira na próxima parte, as considerações finais sobre o Volvo C30 2.0 manual. Veja as matéria anteriores da Avaliação do Volvo C30:

Garagem CARPLACE: Rodando 500 km com o C30 2.0 2011

Foto de: Fábio Trindade