Primeiras impressões Audi RS4 Avant: Tradição mantida

Um dos maiores arrependimentos da minha vida foi não ter comprado um Audi RS2 quando tive a oportunidade - afinal, o preço ainda era "acessível". Estou falando de uma lenda, uma perua esportiva desenvolvida pela Audi com ajuda da Porsche e peças herdadas até do 911. Curiosamente, o Brasil foi um dos países que mais comprou a RS2 quando ela chegou aqui, em 1994. O ronco do motor 5 cilindros turbo de 2.2 litros e 315 cv é até hoje uma das mais belas sinfonias do mundo automotivo. 

O que é?

Felizmente a Audi ainda se dedica a fazer peruas esportivas. E, apesar de não contar mais com a ajuda da Porsche (ao menos diretamente, já que as duas fazem parte do mesmo grupo), ela não perdeu a mão. A quarta geração do RS4 Avant está aqui para não me deixar mentir, com um toque de modernidade e, ao mesmo tempo, certa nostalgia. O toque do "passado" vem com o retorno do V6 biturbo ao cofre da perua, como no primeiro RS4 (B5, de 1999 a 2001), mas muito mais moderno. O 2.9 tem injeção direta de combustível, turbos montados entre as bancadas (que reduz o lag e o tamanho do motor) e gera 450 cv e 61,2 kgfm de torque. É a mesma potência do V8 aspirado da geração anterior (arquitetura utilizada na segunda e terceira gerações), mas com consideráveis 17,3 kgfm de torque a mais. 

Audi RS 4 Avant
Audi RS 4 Avant

A apresentação do novo RS4 Avant aconteceu no autódromo Velo Cittá, um velho conhecido nosso. Apesar da chuva que insistia em nos brindar ...