Apesar das mudanças visuais, o melhor do SUV está embaixo do capô, mas tem forte concorrência para enfrentar

Quando assumiu a operação brasileira da Chery, a Caoa se deparou com um modelo praticamente pronto para ser lançado. O Tiggo 2 nasceu antes da nova administração e não teve tanto a mão da engenharia local em seu desenvolvimento e calibração, apesar da produção em Jacareí (SP). É diferente do que aconteceu com o Tiggo 3x, uma renovação do Tiggo 2, mas que não quer ser vista assim.

Para mostrar que não é uma reestilização, o Caoa Chery Tiggo 3x altera mais do que simplesmente seu visual, mas estreia um novo motor 1.0 turbo dentro da linha da marca sino-brasileira. A ele, ligado um câmbio automático CVT com simulação de 9 marchas, uma bela evolução do antigo 1.5 aspirado com a caixa automática de 4 marchas herdada ainda dos antigo Toyota Corolla. Será isso suficiente para se justificar diante de Honda WR-V, Volkswagen Nivus e o futuro Fiat 363?

O que é?

No fundo, o Tiggo 3x é um Tiggo 2 reestilizado. Era até assim que o tratávamos até a Caoa Chery divulgar que o Tiggo 3x seria um novo modelo no catálogo da marca - na verdade, o Tiggo 2 é chamado de Tiggo 3x na China. E onde ele mais se diferenciará olhando por fora será na dianteira, com um estilo bem diferente do encontrado no seu "irmão mais velho". 

Caoa Chery Tiggo 3x Turbo
Caoa Chery Tiggo 3x Turbo

O Tiggo 3x entra na onda dos faróis divididos. Na parte superior e mais fina, as luzes diurnas de condução em LEDs. Mais abaixo, farol baixo e alto (em LEDs na versão Pro) e setas de direção. Não há faróis de neblina, mas a grade dianteira, que tem acabamento diferente em cada versão, é o destaque, tanto pelo tamanho quanto pelos detalhes cromados que estão em volta do logo da marca. 

Caoa Chery Tiggo 3x Turbo

Se na dianteira o Tiggo 3x carrega um visual mais moderno e atual, o restante é quase o Tiggo 2. Na lateral, mudam rodas e o friso nas portas. Na traseira, as lanternas são escurecidas, o friso entre elas é preto e o parachoque traseiro recebe novo aplique na parte inferior. Particularmente, acho que o SUV merecia mais atenção nestes outros pontos para se diferenciar mais do Tiggo 2 e até parece que a dianteira e a traseira não se conversam - uma é bastante moderna, a outra é quase a mesma do carro anterior e, no caso do Brasil, mais barato. 

E isso fica um pouco mais exposto quando vamos para a parte mecânica e interior. Não por terem sido esquecidas, pelo contrário, pelas mudanças feitas. Começando pelo motor, que agora é o 1.0 turbo da Chery, um dos principais pontos de destaque do Tiggo 3x. Está ligado a um câmbio automático tipo CVT que simula 9 marchas e pode ser uma das principais evoluções do SUV, mas o explicarei melhor nas impressões ao realmente dirigir.

Caoa Chery Tiggo 3x Turbo

Por dentro, o Tiggo 3x teve bastante atenção para se diferenciar do Tiggo 2. Na versão Pro, o painel de instrumentos tem uma tela de 7" de boa resolução e colorida, acompanhada de 2 mostradores em LEDs para a temperatura do motor e nível de combustível. Ele até muda as cores quando vamos do modo Eco para o Sport em um botão com um posicionamento bem ruim, quase escondido e que só descobri pois um instrutor indicou que ele estava ali, na parte inferior no lado esquerdo do motorista. 

O acabamento é dominado pelo plástico rígido, mas com bons encaixes e sem rebarbas. Preto brilhante, alguns elementos em alumínio, imitação de fibra de carbono e um novo volante com base reta se destacam. O sistema multimídia com tela de 9" tem Apple CarPlay e Android Auto (com fios) e seu botão de regulagem do volume fica logo abaixo da alavanca do câmbio, uma posição um pouco incomum na categoria, mas comum em modelos de marcas premium, como a Audi, mas nem por isso signifique que é bem posicionada. 

Como anda?

A Caoa Chery bolou uma estratégia diferente para nosso primeiro contato com o Tiggo 3x. Apenas sabendo que era o motor 1.0 turbo, a marca não divulgou qualquer número de potência e torque e nos deu um trajeto com bastante retas, mas também diversas subidas em uma estrada na serra rumo a São Francisco Xavier, uma cidade no interior de São Paulo. 

Caoa Chery Tiggo 3x Turbo
Caoa Chery Tiggo 3x Turbo

Pegando o Tiggo 2 já pronto, a engenharia da Caoa Chery trabalhou 2 anos no desenvolvimento do Tiggo 3x. Segundo eles, foram 160.000 km em testes, sendo 1.500 horas de dinamômetro só pro motor, além de 5.000 horas de calibração com o câmbio CVT. O motor 1.0 turbo é importado da China, mas foi trabalhado para aceitar etanol e gasolina pela engenharia brasileira e dispensa o tanque de partida auxiliar, com aquecimento dos bicos. 

Na cidade, o SUV se comporta bem. O torque aparece em baixas rotações e o câmbio CVT faz seu trabalho justamente nesta faixa, apesar do conjunto ser um pouco ruidoso em algumas situações. Alguns trancos leves são sentidos durante o trabalho do câmbio (que é produzido pela própria Chery na China e não é o mesmo do Arrizo 5), mas nada que interfira num rodar suave. O isolamento acústico fica devendo, mesmo após um trabalho na engenharia da marca, mas o motor passa pouca vibração considerando ser um tricilíndrico.

Galeria: Caoa Chery Tiggo 3x Turbo

Na estrada, é perceptível que o motor tem bom torque, mas não potência, além de um turbo lag (aquela demora para o turbo pressurizar e realmente perceber o torque extra) perceptível nas retomadas. Na parte da serra, boa força para as subidas, e até deu realmente a impressão de uma boa força principalmente em baixas, mas pediu em alguns momentos o kickdown, aquele acionamento completo do acelerador que leva o câmbio a trabalhar em rotações mais elevadas. 

Vamos a números? São até 17,1 kgfm de torque já a 1.500 rpm, o que explica o bom desempenho na cidade e nas estradas mais lentas, mas os até 102 cv de potência explicam a falta de força em velocidades mais altas, algo que deve ficar mais perceptível com o carro carregado. Esse pode ser um desafio para os vendedores, já que sabemos que boa parte dos compradores compradores acabam olhando mais a potência inferior do que o torque que é maior que alguns outros 1.0 turbo, como o da GM (16,8 kgfm, mas até 116 cv).

Caoa Chery Tiggo 3x Turbo

Aliás, esse 1.0 turbo da Caoa Chery não tem a injeção direta, como o da Chevrolet, mas o da marca americana tem variador de fase nos 2 comandos, enquanto o chinês apenas na admissão. Esse motor é de uma geração anterior que o 1.6 turbo que está no Tiggo 8, por exemplo, já com injeção direta. Entendemos a manobra até mesmo para manter o preço do Tiggo 3x em uma faixa dos R$ 100 mil. 

Diante do Tiggo 2 com o 1.5 aspirado (110/115 cv e 13,8/14,9 kgfm de torque), tem menos potência, mas mais torque. Em compensação, o câmbio CVT no lugar do automático de 4 marchas ajuda no aproveitamento e melhora o rodar. A suspensão é boa, bem voltada ao conforto e que não tem batidas secas ou barulhos. A direção elétrica segue a regra do conforto, mas acaba pecando pela comunicação com o motorista em velocidades mais altas, um pouco deficiente. 

Quanto custa?

O Caoa Chery Tiggo 3x será vendido em 2 versões. Esta é a topo de linha, a Pro, de R$ 105.990 (no lançamento, está com preço promocial de R$ 99.990). Como destaque, seletor de modo de condução, monitor de pressão dos pneus (com temperatura), sensor de estacionamento traseiro, assistente de partida em rampas, assistente de descida, controles de tração e estabilidade, ar-condicionado, painel com tela de 7", chave presencial, acendimento automático dos faróis, câmera de ré, piloto automático, sistema multimídia com tela de 9" com Apple CarPlay e Android Auto, faróis de LEDs, rodas de 16" e bancos em couro. 

Caoa Chery Tiggo 3x Turbo

Ele peca em alguns pontos, como ter apenas 2 airbags e ver alguns pontos da idade do projeto, como as palhetas do limpador dianteiro visíveis por dentro do carro e os bancos cansativos em longas viagens, sem muito apoio para o corpo. Não há a opção de teto-solar, sendo que o Tiggo 2 oferece na versão topo. 

A Caoa Chery quer que o Tiggo 3x Turbo responda por cerca de 50% das suas vendas de SUVs. Ele mira em uma turma como o Honda WR-V e o futuro Fiat 363, modelos que ficam abaixo dos SUVs compactos em nosso mercado. O motor 1.0 turbo e o câmbio CVT são os destaques desse conjunto, mas ele poderia se diferenciar mais visualmente do Tiggo 2 na traseira, por exemplo, já que a dianteira chama bastante atenção. Resta ver como os clientes enxergarão este "novo SUV" com tanta coisa semelhante a um modelo que está abaixo na linha, mesmo com boas evoluções.

Fotos: divulgação

Caoa Chery Tiggo 3x Turbo Pro

MOTOR dianteiro, transversal, 3 cilindros, 16 válvulas, 998 cm3, comando duplo com variador na admissão, injeção multiponto, turbo, flex
POTÊNCIA/TORQUE

98/102 cv a 5.500 rpm; Torque: 16,8/17,1 kgfm de 1.500 a 4.000 rpm

TRANSMISSÃO automática CVT com simulação de 9 marchas, tração dianteira
SUSPENSÃO McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira
RODAS E PNEUS alumínio de 16", pneus 205/55 R16
FREIOS discos ventilados na dianteira e discos sólidos na traseira, com ABS e ESP
PESO 1.249 kg em ordem de marcha
DIMENSÕES comprimento 4.200 mm, largura 1.760 mm, altura 1.570 mm, entre-eixos 2.555 mm;
CAPACIDADES tanque 50 litros; porta-malas 420 litros
PREÇO R$ 105.990 (preço promocial de R$ 99.990 no lançamento)

Ouça o podcast do Motor1.com:

 

Siga o Motor1.com Brasil no Facebook

Siga o Motor1.com Brasil no Instagram

Envie seu flagra! flagra@motor1.com