Colocamos o pequeno jipe em três cenários diferentes para ver qual seu melhor habitat

O Suzuki Jimny vendeu 1.604 unidades até outubro deste ano. Não é muito, mas tem uma fiel legião de fãs e basta ver isso pelas ruas dos grandes centros. Não é difícil ver um Suzukinho no trânsito e, muitas vezes, sujo de alguma trilha leve que ele pegou no final de semana. E apesar de não ser um carro de alto volume, a chegada do Jimny Sierra era bastante esperada desde que ele apareceu pela primeira ver no Salão do Automóvel de 2018. 

Teste: Suzuki Jimny Sierra (BR)

A nova geração do Jimny conviverá com a anterior, ainda produzida em Catalão (GO), importada do Japão. Durante seu lançamento, o colocamos para enfrentar uma trilha mais pesada e ele não ficou devendo a qualquer modelo maior e (ainda) mais caro, mesmo com o motor 1.5 e câmbio automático de 4 marchas. Agora é a hora de colocá-lo na cidade, na estrada e não poderia faltar um passeio por uma estrada de terra com lama, além dos números de nosso teste instrumentado, com desempenho e consumo urbano e rodoviário.

Na cidade, melhor que um SUV compacto

Ao oferecer a opção de câmbio automático no Jimny Sierra, a Suzuki abriu espaço para um novo público. Junte os apenas 3,65 m de comprimento com a boa altura do solo e a transmissão automática e tenha um carro quase feito para cidade. O motor 1.5 (K15B) tem apenas 14,1 kgfm de torque, mas boa parte disso aparece em baixas rotações e a própria transmissão sabe levar isso muito bem. 

Teste: Suzuki Jimny Sierra (BR)
Teste: Suzuki Jimny Sierra (BR)

Apesar de apenas 4 marchas, o câmbio tem uma relação bem curta. Com quase 1 tonelada, o Jimny Sierra é leve e responde bem na cidade e consegue até pular na frente nas saídas de semáforo. O próprio câmbio trabalha as baixas rotações do motor, o que ajuda tanto no conforto acústico quanto no consumo urbano - 10,4 km/litro com gasolina em nosso teste. Pequeno, ele se encaixa em vagas apertadas com a ajuda da direção elétrica e bom ângulo de esterço, mais um ponto positivo no uso urbano. 

Teste: Suzuki Jimny Sierra (BR)

E justamente pela direção que ele não é "perfeito" na cidade. Bem indireta (pensada para o uso fora de estrada), exige mais voltas para fazer uma curva ou um desvio de trajetória. Pelo menos a posição de dirigir é alta e centralizada, não gerando desconforto mesmo no trânsito mais pesado. 

A suspensão com curso longo permite jogar o Jimny Sierra em qualquer buraco, valeta ou, dependendo do caso, calçadas. A absorção dos impactos mesmo do pior asfalto é bastante eficiente e o conforto é um ponto alto no jipinho que, se você vai andar em duas pessoas na cidade, é melhor que um SUV compacto.

Na estrada, melhor voltar para a cidade

O Jimny Sierra até pode ser homologado para quatro ocupantes, mas isso não significa que será algo confortável. Se você quer ter mais que os 85 litros de porta-malas, precisará abrir mão de pelo menos um ocupante traseiro e rebater o banco. Cheguei a fazer uma viagem curta com os quatro ocupantes e não poucas vezes as garrafas de refrigerante que estavam no porta-malas iam parar no pé dos passageiros. Mas por incrível que pareça, é até confortável para a dupla que vai atrás, uma evolução da geração anterior. 

Teste: Suzuki Jimny Sierra (BR)

Se falasse, o pequeno Suzuki ia reclamar na hora que visse a estrada na sua frente. Ele até encara e mantém velocidade para acompanhar o ritmo, mas os 108 cv sofrem quando precisam fazer uma ultrapassagem ou retomada. O câmbio curto deixa a rotação a 3.500 rpm a 120 km/h, mas o consumo em nosso teste foi de 13,1 km/litro. Porém, quando a viagem exige mais pessoas ou carga, espere algo na faixa dos 11 km/litro justamente pela baixa potência e algumas reduções necessárias para ultrapassagens.

Lembra da suspensão que vai bem na cidade? Ela deixa o Jimny Sierra balançar bastante na estrada e, quando bate um vento mais forte na lateral, sente mais do que modelos maiores e mais baixos. É a desvantagem da altura elevada do solo, pouca largura, pneus mais finos e baixo peso. Se prepare para viajar a 100 km/h.  

Fora-de-estrada, o lar doce lar

Não adianta, o Jimny Sierra gosta mesmo é da terra. Se pudesse, soltaria um sorriso quando avistasse um terreno mais acidentado ou uma poça de lama. Sua fama de décadas vem justamente disso, com a nova geração mantendo a construção chassi-carroceria em prol da robustez e até mesmo a alavanca para engate da tração 4x4 (com reduzida) tomou o lugar do menos confiável botão. 

Teste: Suzuki Jimny Sierra (BR)
Teste: Suzuki Jimny Sierra (BR)

Parece até que ele ganha mais potencia nesta situação. Com o 4x4 ligado, passa por qualquer situação e os bons números fora-de-estrada (210 mm de altura do solo, 37º de entrada e 49º de saída) permitem abusar bastante em situações em que até mesmo picapes e jipes maiores não passariam. Com a reduzida ligada então, faz um morro parecer uma simples rampa. 

Teste: Suzuki Jimny Sierra (BR)

Aquela suspensão que balança na estrada foi feita para o fora-de-estrada. Com eixo rígido nas duas extremidades, ele filtra os impactos e mantém o controle do carro mesmo andando mais rápido. A direção elétrica é desmultiplicada e não dá trancos no volante no uso extremo, mostrando que o projeto do Jimny Sierra, mais uma vez, focou em um público bastante específico e já acostumado ao modelo. 

Conclusão: um belo brinquedo 

O Jimny Sierra tem suas qualidade e defeitos. No fim, ele é um belo brinquedo para se ter na garagem, mas cobra R$ 122.990 nesta versão topo (com câmbio manual, R$ 103.990, ou R$ 111.990 na automática "de entrada"). Aos fãs, uma bela evolução. Ao carro, idem. 

Fotos: Leo Fortunatti e divulgação

Ficha técnica Suzuki Jimny Sierra 4Style

MOTOR dianteiro, longitudinal, 4 cilindros, 16 válvulas, 1.462 cm3, duplo comando variável na admissão, gasolina
POTÊNCIA/TORQUE 108 cv a 6.000 rpm / 14,1 kgfm a 4.000 rpm
TRANSMISSÃO automática de 4 marchas, tração 4x4 com reduzida (4x2, traseira)
SUSPENSÃO eixo rígido com 3 braços na dianteira e traseira, molas helicoidais
RODAS E PNEUS  liga-leve aro 15" com pneus 195/80 R15
FREIOS discos ventilados na dianteira e tambor na traseira com ABS e EBD
PESO 1.095 kg em ordem de marcha
DIMENSÕES comprimento 3.645 mm, largura 1.645 mm, altura 1.725 mm, entre-eixos 2.250 mm; vão livre do solo 210 mm; ângulo de ataque 37 graus; ângulo central 28 graus; ângulo de saída 49 graus
CAPACIDADES tanque 40 litros; porta-malas 85 litros
PREÇO R$ 122.990
MEDIÇÕES MOTOR1 BR
    Suzuki Jimny Sierra AT
  Aceleração  
  0 a 60 km/h 5,8 s
  0 a 80 km/h

9,1 s

  0 a 100 km/h 14,8 s
  Retomada  
  40 a 100 km/h em S 11,8 s 
  80 a 120 km/h em S 14,0 s 
  Frenagem (pista molhada)  
  100 km/h a 0 47,7 m 
  80 km/h a 0 29,8 m 
  60 km/h a 0 16,7 m
  Consumo  
  Ciclo cidade 10,4 km/l 
  Ciclo estrada 13,1 km/l 

Galeria: Suzuki Jimny Sierra 2020