Avaliação Nissan Micra - Como anda a nova geração do nosso March

O Micra, nome europeu do Nissan March, tem história na Europa: a segunda geração, de 1992, foi o primeiro japonês a ganhar um título de Carro do Ano no Velho Continente, em 1993, e um dos primeiros importados do Japão a fazer sucesso por lá. Depois dela, a terceira e quarta gerações não conseguiram fazer o mesmo barulho. Com este Micra, a Nissan espera repetir a história de 25 anos atrás. Para saber como, fui para a Croácia para dirigi-lo. 

Como é

Este é o Micra mais longo (3,99 m), mais largo (1,74 m) e mais baixo (1,46 m) da história: em proporções, ele é claramente mais achatado, o que dá a impressão de olhar para um esportivo. No geral, ele se destaca: concebido e projetado para a Europa e produzido na França, ele é bem europeu.

 

2017 Nissan Micra

 

O interior tem uma faixa no painel que contrasta com o restante dos elementos, além de um revestimento na parte superior que é certamente o melhor do segmento. Nas partes mais escondidas, os materiais são mais simples, mas ainda satisfatório para seu segmento. Como pode-se perceber pelas fotos, a cabine é bastante semelhante à do Kicks. Na verdade, é como se o novo March fosse a versão hatch do SUV compacto.

 

Nissan Micra (March)

 

Na parte de multimídia, o Apple CarPlay já está disponível, enquanto o Android Auto chega daqui a um tempo. Os gráficos do painel e da tela de 7" são bons, de fácil entendimento, mas o número de botões no volante confunde quem não está acostumado. Questão de tempo para se familiarizar. 

O porta-malas? A capacidade divulgada de 300 li...