Após sua decisão de interromper a produção de veículos na Rússia a partir de março deste ano, a Renault agora vende 100% de suas ações na Renault Rússia para a cidade de Moscou. Além disso, durante uma reunião da diretoria do Grupo Renault, a fabricante francesa decidiu vender sua participação de 67,69% na AvtoVAZ (detentora da marca Lada) à NAMI, o Instituto Central de Pesquisa e Desenvolvimento de Automóveis e de Motores da Rússia.

Em comunicado divulgado para a imprensa, a Renault diz tratar-se de "decisão difícil, mas necessária", que surge como resposta à agressão da Rússia contra a Ucrânia e à invasão do país que começou em 24 de fevereiro. A montadora, no entanto, diz ter feito "uma escolha responsável em relação aos nossos 45.000 funcionários na Rússia" e preserva a capacidade de retornar ao país dentro de seis anos.

O acordo com a cidade de Moscou e a NAMI não está sujeito a nenhuma condição, fora que todas as aprovações necessárias já foram obtidas. Isto significa que o acordo entra em vigor imediatamente, com isso podemos dizer que a Renault não tem mais operações comerciais na Rússia, país onde produziu modelos da Dacia com a marca Lada para o mercado local.

A agora antiga fábrica da Renault em Moscou é agora operada pela cidade de Moscou e há rumores sobre um possível retorno de uma marca automotiva histórica da antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). O Moscow Times cita o prefeito de Moscou, Sergei Sobyanin, que anunciou que quer trazer de volta à vida Moskvitch, uma montadora da era soviética que deixou de existir em 2006 - quando acabou entrando em falência. A Kamaz, uma grande fabricante russa de caminhões, se tornará o parceiro de tecnologia da Moskvitch.

"A fábrica de automóveis em Volgogradsky Prospekt tem uma longa e gloriosa história", diz um anúncio oficial do prefeito Sobyanin. "Há quase cem anos, ele começou com a produção de carros Ford. Durante décadas, o lendário Moskvicth doméstico foi produzido aqui. Desde 1998, a fábrica tem cooperado com a Renault, e Logans, Dusters e Sanderos saíram de sua linha de montagem. Em 2022, abriremos uma nova página na história de Moskvitch".

De acordo com o plano de Moscou, a Mosvitch começará inicialmente a montagem de carros com motores de combustão e, no futuro, poderá mudar para a produção de carros elétricos.

Envie seu flagra! flagra@motor1.com