A Comissão Europeia anuncia plano ambicioso que proibirá a comercialização até dos modelos híbridos

O início do fim dos carros a combustão, sejam eles a gasolina, diesel ou qualquer outro que emita algum nível de poluentes já tem data para acontecer na Europa: 2035. Esse é o limite proposto pela Comissão Europeia para extinção de carros a combustão. Caso a regra seja aprovada, nenhum carro que emita CO2 poderá estar nas concessionárias, acabando até mesmo com os híbridos e híbridos plug-in. E isso vai afetar também os veículos comerciais leves.

A proposta foi divulgada hoje pelo "Fit for 55", um pacote de reformas climáticas feito para reduzir as emissões de CO2 em 55% até 2030 em comparação a 1990, sempre com o objetivo final de ser totalmente neutro em 2050. Na prática, em 14 anos, as concessionárias só terão carros elétricos e a hidrogênio para venda.

Porsche Taycan Turbo S 2021

Os executivos da Comissão Europeia propõem uma série de medidas para garantir que "o nível médio de missões dos carros novos seja reduzido em 55% em 2030 e 100% em 2035 em comparação a 2021. Como resultado, todos os novos carros vendidos a partir de 2035 serão de emissões zero." Ou seja, adeus aos carros a gasolina e diesel, mesmo com algum tipo de eletrificação, e até mesmo os que usam gás natural.

Ricarica

Porém, isso se aplica apenas para a vendas de carros novos. Até o momento, a proposta não fala nada sobre impedir a circulação dos veículos com motores a combustão que já foram adquiridos. Como a meta é a neutralidade em 2050, é bem provável que isso seja discutido na próxima década.

Recarga a cada 60 km

Para facilitar a transição, há também exigências para a infra-estrutura. No pacote que será votado, os membros da União Europeia terão que "instalar recarregadores e posto de rebastecimento em intervalos regulares nas principais estradas: a cada 60 km para recarga elétrica e 150 km para veículos a hidrogênio."

Renault Zoe 2020

Isto é apenas uma proposta neste momento, que será levada para o parlamento da União Europeia e o Conselho para ser discutida detalhadamente. Por outro lado, a possibilidade de que este plano seja aprovado é bem grande, visto a forte presença de apoiadores das causas ecológicas no parlamento.

Em todo caso, a proposta chega em um momento em que diversas fabricantes estão lançando novas estratégias de eletrificação, muitas já mirando no fim dos carros a combustão nas próximas décadas. Isso mostra que as empresas já antecipavam esta movimentação, inclusive apostando no fim dos motores a gasolina e diesel está próximo.

O que muda de acordo com a proposta:

Motorizações na Europa atualmente Motorizações na Europa a partir de 2035

Gasolina

Elétrico
Diesel Hidrogênio
GLP (Gás Liquefeito de Petróleo)  
Metano  
Híbrido-leve  
Híbrido  
Híbrido plug-in  
Elétrico  
Célula de combustível (hidrogênio)  

Esta mudança no mercado automotivo europeu ainda deve gerar uma grande repercussão no resto do mundo, por encerrar o investimento nos motores a combustão. Resta ver como isso afetará o Brasil, onde ainda falta uma política do governo mais amplia que incentive a chegada dos carros 100% elétricos ou com algum tipo de eletrificação.

Ouça o podcast do Motor1.com:

 

Siga o Motor1.com Brasil no Facebook

Siga o Motor1.com Brasil no Instagram

Envie seu flagra! flagra@motor1.com