Supercarro foi feito sob encomenda, recebendo uma carroceria especial e entre-eixos alongado

Por culpa do Rolls-Royce Boat Tail de R$ 140 milhões, o Bugatti La Voiture Noire não é mais o carro mais caro do mundo. Isso não significa que seja menos impressionante, já que a edição única do hipercarro com motor W16 finalmente foi revelado pronto para ser entregue ao cliente que pagou 11 milhões de euros (R$ 67.496.000 na cotação atual).

O Bugatti La Voiture Noire é uma reinterpretação moderna do lendário Type 57 SC Atlantic de Jean Bugatti, que se perdeu na história, e que levou dois anos para ficar pronto. Cerca de 65 mil horas foram gastas no desenvolvimento para finalizar esta criação única baseada no Chiron, que tem uma carroceria feita sob medida e entre-eixos alongado. Sim, as 6 saídas de escapamento continuam aqui, dominando a imponente traseira do esportivo.

Galeria: Bugatti La Voiture Noire

Como dissemos, o entre-eixos foi aumentado em 250 milímetros em comparação ao Chiron "normal", o que fez com que ficasse 450 mm mais longo. Esta versão única tem uma carroceria especial com superfícies de fibra de carbono e uma camada de preto carbono brilhante. A Bugatti diz que este acabamento especial "gera virtualmente nenhum reflexo, mas muita tensão e drama."

E ainda tem os faróis, com mais de 25 elementos individuais em cada um deles. A Bugatti admite que foi muito trabalhoso criar esta parte, mesmo que fosse para um projeto especial como o La Voiture Noire. A grade dianteira foi feita com uma impressora 3D, enquanto a linha ultra-larga em LED na traseira está em uma peça única sem juntas - a primeira vez para um Bugatti.

A galeria de fotos acima infelizmente não traz imagens do interior, mas sabemos que usa um acabamento de couro granulado na cor marrom Havana. Detalhes de alumínio polido se espalham pelo console central e paineis das portas, enquanto um botão feito em jacarandá permite que o comprador possa escolher entre os diferente modos de direção.

De acordo com a Bugatti, o La Voiture Noire é mais do que um Chiron com novo visual e entre-eixos alongado, trazendo algumas modificações. Conta com um resfriamento e rodas diferentes, enquanto o jeitão do carro é mais voltado para um grand tourer. Foi aperfeiçoado em um túnel de vento e bancadas de teste, mas também nas pistas e campos de provas em diversas velocidades, assim como o Chiron convencional.

Para fechar, o Grupo Volkswagen, dono da Bugatti, já confirmou que a marca mostrará um novo veículo ainda em 2021. Alguns dizem que é uma versão conversível do Chiron, também com somente uma unidade produzida, mas nada foi confirmado até o momento.

Ouça o podcast do Motor1.com:

 

Siga o Motor1.com Brasil no Facebook

Siga o Motor1.com Brasil no Instagram

Envie seu flagra! flagra@motor1.com