Plataforma derivada do Renault Kwid é a chave para o modelo ser produzido no país

Faz tempo que a Nissan procura um sucessor para o March fabricado em Resende (RJ). A primeira e mais óbvia solução seria trazer sua versão europeia Micra, mas o fato é que a "conta não fechou". "Ele ficaria mais caro que o atual e ainda seria visto como um hatch compacto", explicou Marco Silva, presidente da Nissan do Brasil. Pois bem, enquanto o Versa novo virá do México, a solução para o lugar do March está nascendo na Índia com pretensões globais: trata-se do Magnite "suvinho" de 4 metros para atuar abaixo do Kicks. 

A grande sacada deste projeto, e o que viabiliza sua vinda ao Brasil, é ser montado a partir da plataforma CMF-A+ do Renault Kwid - que também terá uma variante SUV própria, a ser chamada de Kiger. A Nissan parece mais adiantada em seu modelo e já mostrou uma versão conceitual na Índia, com muito do design influenciado pelo Kicks, porém numa proposta mais compacta. Com comprimento inferior a 4 metros, o que lhe rende vantagens tributárias no mercado indiano, ele mede cerca de 30 cm a menos que o Kicks, e fica na faixa de compactos como Hyundai HB20 e VW Polo, com a diferença do jeitão SUV e elevada altura do solo. É sem dúvida uma boa receita para o mercado brasileiro, cada dia mais ávido por crossovers, e ocuparia a faixa do March com um produto praticamente sem rivais. 

Conceito Nissan Magnite

A fabricação do Magnite no Brasil passa também pela parceira Renault, que provavelmente deve trazer sua contraparte (Kiger) para aproveitar a economia de escala e ampliar o uso da plataforma do Kwid para outros modelos. A estratégia da Aliança Renault-Nissan para o Brasil prevê inclusive que modelos de marcas diferentes saiam da mesma fábrica, de acordo com a plataforma utilizada por eles. Então não será surpresa ter, na fábrica de São Jose dos Pinhais (PR), a produção do Kwid e dos seus derivados Kiger e Magnite. 

Embora dê indícios de que o Magnite seja mesmo o sucessor do March por aqui, Marco Silva ainda não fala em data para isso acontecer. O modelo ainda nem foi mostrado em sua versão de produção na Índia, o que deve acontecer nos próximos meses, e isso colocaria sua estreia no Brasil para, com boas perspectivas, 2022. Outra atração que deve vir acompanhada do Magnite é a versão turbo do motor 1.0 SCe, que seria usada também em outros modelos como o Kiger e na próxima geração do Sandero. 

Conceito Nissan Magnite

Antes do Magnite, porém, a Nissan ainda tem uma série de novidades para o mercado brasileiro, a começar pelo novo Versa em novembro. Em 2021 será a vez do Kicks reestilizado, que vai ter visual exclusivo e pode ganhar motor 1.3 turbo da Renault. No fim de 2021 ou começo de 2022, virá do México a nova geração do Sentra, possivelmente apenas na versão topo de linha para atuar acima do Versa.  

Fotos: divulgação

Galeria: Nissan Magnite Concept