Crossover será oferecido em quatro versões, duas delas híbridas plug-in

Lançada no mercado global em maio, a versão renovada do Mini Countryman enfim chega ao Brasil, cumprindo a promessa da fabricante de iniciar as vendas ainda em 2020. O crossover baseado no Cooper estará disponível em quatro versões, com preços entre R$ 199.990 e R$ 299.990, oferecendo uma variante simples com o 1.5 turbo de 136 cv, o esportivo John Cooper Works com o 2.0 turbo de 306 cv e duas opções híbridas plug-in de 224 cv.

Reestilizado apenas dois anos depois do lançamento da geração, o Mini Countryman 2021 recebeu faróis redesenhados com luzes em LED de série, enquanto as lanternas receberam o estilo Union Jack, imitando a bandeira do Reino Unido. O para-choque dianteiro acompanha as alterações, assim como a grade. As rodas também são novas.

Galeria: Mini Countryman SE 2021

Do lado de dentro, a grande estreia é o painel de instrumentos digital usando uma tela de 5 polegadas, recurso que já era usado pelo Cooper nas versões SE e John Cooper Works. O acabamento foi revisado, adotando um novo padrão para a forração dos bancos. A central multimídia segue com tela de 8,8 polegadas, que recebe um novo design e utiliza botões sensíveis ao toque.

Como é apenas uma reestilização, as medidas não foram alteradas. Ou Countryman mede 4,29 metros de comprimento e tem um entre-eixos de 2,67 m, fazendo com que seja o maior modelo da Mini e anunciado como o “SUV” da empresa. Seu porta-malas tem capacidade para 450 litros, caindo para 405 litros nas versões híbridas plug-in por causa das baterias.

Galeria: Mini Countryman 2021

A versão mais básica será a Cooper Countryman, sem um nome próprio. Custa R$ 199.990 e vem de série com central multimídai de 8,8”, faróis full-LED, painel digital, acabamento de couro para o interior e volante, sensor de estacionamento, controle de cruzeiro adaptativo, rack de teto, rodas de liga leve de 17”, navegador por GPS e mais. Seu motor é o 1.5 turbo de 136 cv e 22,4 kgfm de torque, acompanhado do câmbio automatizado Steptronic de dupla embreagem e 7 marchas.

Para quem quiser continuar com o carro sem eletrificação, a outra opção é o Countryman John Cooper Works ALL4, por R$ 299.990. Como todo JCW, seu foco é a esportividade, adotando o 2.0 turbo de 306 cv e 45,8 kgfm, enquanto a transmissão Steptronic de dupla embreagem passa a ter 8 marchas e função launch control. Bem mais equipado, recebe sistema de som Harman Kardon, espelhos laterais com rebatimento e memória, teto solar panorâmico, abertura e fechamento automático do porta-malas, head-up display, iluminação interna em LED, seletor de modo de condução, entre outros. O visual é bem mais agressivo, adotando um spoiler traseiro, assentos esportivos e rodas exclusivas.

As duas outras versões são as híbridas plug-in Cooper SE Countryman. Ambas usam a mesma mecânica, com o 1.5 turbo e um outro motor elétirco, entregando um total de 224 cv e 39,3 kgfm de torque, sempre com o câmbio automático de 6 marchas. Usando apenas a carga das baterias de 9,6 kWh, é capaz de rodar por até 57 km. Conta também com o sistema de tração integral ALL4.

A variante Exclusive custa R$ 234.990 e, comparado com o Mini Countryman de entrada, adiciona câmera de ré, teto solar panorâmico, seletor de modo de condução, iluminação ambiente, abertura e fechamento automático do porta-malas e rodas de liga leve de 18”. Já a versão Top será comercializada por R$ 264.990 e ganha rodas de 19”, sistema de som Harman Kardon, head-up display, retrovisor interno eletrocrômico e acabamento em couro.