Reestilização reforça personalidade e traz independência em relação ao SUV Pilot

À venda no mercado norte-americano desde 2017, a segunda geração da picape Honda Ridgeline acaba de chagar à linha 2021 com importantes atualizações. Construída em estrutura monobloco com arquitetura compartilhada com o SUV Pilot, a camionete ganha linhas mais robustas na dianteira, aperfeiçoamentos na cabine e incorpora elementos típicos de picapes maiores.

Por fora, o conjunto frontal foi todo redesenhado para ganhar independência em relação ao Pilot. Dessa forma, a frente ficou mais imponente com a adoção de capô remodelado, faróis com elementos internos modificados, grade frontal mais ampla e para-choque mais robusto. Na traseira, o para-choque também foi revisto e as saídas de escapamento agora são duplas e visíveis (uma exigência dos consumidores, segundo a Honda).

Galeria: Honda Ridgeline 2021

Ainda no visual, é destaque o pacote de design Honda Performance Development (HPD), que inclui diversas opções de customização. Entre as principais, destaque para grelha exclusiva na grade dianteira, emblemas exclusivos, rodas Sonoran Bronze e molduras plásticas nas caixas-de-roda. Outros três pacote - Utility, Function e Function+ - também estão disponíveis e podem equipar qualquer versão da Ridgeline 2021.

Na cabine, a Honda promoveu apenas ajustes no acabamento e voltou a oferecer botão de volume físico na central multimídia (mais uma exigência do público). No mais, a picape segue com diferenciais como porta-malas embutido na caçamba e bancos moduláveis que podem ser recolhidos de diferentes formas para ampliar o espaço na cabine. O rodar macio e confortável também não deve mudar, sendo creditado principalmente à plataforma herdada do Pilot.

Honda Ridgeline 2021

Sob o capô, o motor 3.5 V6 de 284 cv é o mesmo. Toda a produção é concentrada na fábrica do Alabama, nos EUA, onde também são montados a minivan Odyssey e o crossover MDX, da divisão de luxo Acura.

Fotos: Divulgação