Marca aponta novo SUV da marca como concorrente do Chevrolet Equinox, Toyota RAV4 e VW Tiguan

A Jeep já fala abertamente sobre o seu futuro SUV de 7 lugares que será fabricado no Brasil. Em entrevista com executivos da marca nesta semana, novos detalhes foram divulgados sobre a novidade e um ponto foi bem claro: não se trata de um Grand Compass.

Um SUV da Jeep totalmente novo

Ainda sem nome oficial divulgado, os executivos são firmes ao declarar que o novo modelo não é um Compass esticado, diferente do que alguns rumores que circularam. De acordo com Ricardo Dilser, Gerente de Comunicação da FCA América Latina, as primeiras mulas de teste rodam pelo Brasil com elementos e chaparia de outros modelos, mas isso não significa que seja exatamente um derivado em questão.

Como exemplo, citou o caso da picape Toro, que durante o seu desenvolvimento rodava com praticamente toda a dianteira do Grand Siena, o que gerou rumores de que seria uma "picape do Grand Siena". Caso mais recente é o da nova Fiat Strada, tratada como uma "picape do Mobi" por usar algumas peças em comum, como as portas.

Jeep Grand Commander for China
Jeep Grand Commander chinês pode indicar linhas do estilo do novo SUV nacional

SUV mais tecnológico produzido na América Latina

Outro ponto abordado durante a entrevista foi sobre o desenvolvimento 100% brasileiro. Assim como a Toro, o novo SUV de 7 lugares da Jeep tem o Brasil como ponto central de engenharia design e produção.

Além disso, os executivos também prometem que o novo Jeep será o SUV mais tecnológico projetado e produzido na América Latina. Ao seguir a receita do Compass, com ampla localização de peças, motores e componentes, a estratégia é ter um modelo com volume de produção representativo. 

Terá somente motores turbo

A nova linha de motores GSE turbo que o grupo FCA produzirá ainda este ano equipará o modelo. Pelo porte e características dos concorrentes, faz sentido apontar o novo propulsor 1.3 Turbo Flex, com potência de pelo menos 180 cv, para encarar as versões de entrada dos rivais. Na Europa, a transmissão é uma automatizada de dupla embreagem, mas por aqui tudo indica que será uma caixa do tipo CVT, que também será adotada pelo 1.3 aspirado.

Como diferencial, e até colocando o Toyota SW4 e Chevrolet Trailblazer como rivais, será a opção com motor Turbodiesel e tração 4x4 com toda a capacidade off-road já presente no DNA da marca Jeep. Detalhes sobre potência, não foram divulgados, mas a tendência é de que seja o mesmo conjunto do Compass associado à transmissão automática de 9 marchas.

Jeep Grand Cherokee 2020 - Brasil
Novo SUV terá mais de Grand Cherokee do que Compass, diz executivo

Plataforma

Embora não seja um Grand Compass, obviamente alguns componentes o novo SUV compartilhará com o Compass. A marca afirma que o visual será diferente, a identidade será diferente e o acabamento interno será ainda mais sofisticado. Alexandre Aquino, Jeep Brand Manager, deu uma dica do que esperar ao dizer que o novo SUV de 7 lugares estará mais próximo do Grand Cherokee do que propriamente do Compass.

Será construído sobre uma parte da plataforma Small Wide 4x4, a mesma que dá vida ao Renegade, Compass, Toro, 500X além de outros modelos em outros mercados. A receita é a mesma utilizada pela Toro, que do meio do carroceria para trás é completamente diferente do Renegade. "Assim vai acontecerá com  o 'SUVão', ele vai ter partes da plataforma que pertencerá somente a ele". Anteriormente, fontes ligadas à marca já haviam adiantado à Motor1.com que a plataforma não seria exatamente a mesma do Compass, "usando uma solução da Europa" para criar a versão de 7 lugares.

Chega em 2021

O novo 'SUVão' será produzido no Brasil, especificamente no Polo industrial da Jeep localizado em Goiana, Pernambuco. Compartilhará a linha de produção ao lado do Compass, Renegade e Toro. Seu lançamento oficial no mercado brasileiro acontecerá no segundo semestre de 2021.

A marca não fala em volume de produção, mas destacou que ele atenderá toda a América Latina, e possivelmente, poderá ser enviado para outros mercados do mundo. Inicialmente, será produzido apenas no Brasil.