Versão topo de linha Titanium passa de R$ 187.990 para R$ 197.900

Lançado em agosto passado, o Ford Territory já teve o seu primeiro reajuste de preços. O site da marca aponta que o SUV médio passará a ser comercializado por R$ 179.900 na versão SEL, contra os R$ 165.900 que eram cobrados até então, uma diferença de R$ 14 mil. Já a variante topo de linha Titanium fica ainda mais próxima dos R$ 200 mil, passando a custar R$ 197.900, R$ 10 mil a mais do que os R$ 187.900 do lançamento.

A razão do reajuste não foi divulgada, mas o mais provável é que esteja atrelado ao aumento do dólar desde então. A pré-venda do Ford Territory começou no dia 7 de agosto e o preço deve ter sido fechado pouco antes disso – em julho, a cotação era de aproximadamente R$ 5,20. Desde então, a média do dólar subiu para mais de R$ 5,40. Desde o dia 23 de setembro, o dólar não fica abaixo de R$ 5,20 e, na última sexta-feira (2), a primeira do mês de outubro, a cotação fechou em R$ 5,65.

Galeria: Ford Territory 2021

Apesar do aumento de preços, não há qualquer alteração na lista de equipamentos do Territory em nenhuma das versões. Ele segue equipado com faróis e lanternas em LED, seis airbags, controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, chave com sensor de presença, piloto automático, teto solar panorâmico, rodas de liga leve de 17”, sensor de pressão dos pneus, piloto automático e central multimídia com tela de 10,1” compatível com Android Auto e Apple CarPlay (este último sem fio).

No caso do Territory Titanium, são adicionados retrovisores com sensor de ponto cego e rebatimento elétrico, painel digital com tela de 10” configurável, sistema de som com 8 alto-falantes, carregador wireless para smartphone, sensor de chuva, rodas de liga leve de 18”, controle de cruzeiro adaptativo, frenagem automática de emergência, estacionamento automático, banco do motorista com ajuste elétrico e mais.

Em todas as versões, a motorização é a mesma, formada pelo motor 1.5 turbo de quatro cilindros, abastecido somente com gasolina. Entrega 150 cv a 5.300 rpm e 22,9 kgfm a 1.500 rpm, trabalhando exclusivamente com um câmbio automático do tipo CVT, simulando 8 marchas. Nos testes feitos por Motor1.com, o SUV acelerou de 0 a 100 km/h em 11,1 segundos, enquanto o consumo foi de 9,0 km/litro na cidade e 10,6 km/litro na estrada.

Fotos: divulgação