Versão mais off-road do utilitário segue com o 2.0 turbo a gasolina de 270 cv

Não foi dessa vez que o Jeep Wrangler recebeu a motorização diesel no Brasil. A marca anuncia a chegada da versão topo de linha Rubicon, que será vendida por R$ 419.990, além de um aumento de quase R$ 100 mil para as configurações Sahara e Sahara Unlimited, por R$ 347.990 e R$ 370.990. Porém, todos são vendidos somente com o 2.0 turbo a gasolina de 270 cv.

O Jeep Wrangler Rubicon já havia sido anunciado oficialmente pela marca em abril do ano passado, mas a expectativa era que finalmente adotasse a motorização 3.0 V6 turbodiesel de 264 cv e 61,1 kgfm, que também equiparia a picape derivada Gladiator. Agora desembarca com o conhecido 2.0 turbo de quatro cilindros, que entrega 270 cv e 40,7 kgfm, sempre com tração 4x4 e câmbio automático de 8 marchas.

Galeria: Jeep Wrangler Rubicon

Por ser a versão mais cara do utilitário (abaixo apenas das versões especiais North e Rubicon Recon), vem com uma lista de equipamentos bem recheada. Tem a central multimídia Uconnect 4 com tela de 7” (8,4” com navegação por GPS como opcional), câmera de ré, controle de estabilidade e tração, rodas de liga leve de 17” com pneus off-road BF Goodrich 255/75 R17, monitor de ponto cego, controle de oscilação da carroceria, tela TFT de 7” para o computador de bordo, faróis e lanternas em LED e mais. Tem como exclusividade a cor laranja Puck'n.

A Jeep aproveitou a ocasião para reajustar os preços das demais versões do Wrangler. O modelo Sahara, de duas portas, passou de R$ 259.990 para R$ 347.990, um aumento de R$ 88 mil; enquanto a variante Sahara Unlimited Overland de quatro portas, que era vendida por R$ 274.990, teve um acréscimo de R$ 96 mil e será vendida por R$ 370.990.

Nós já andamos no Wrangler Rubicon