Picape muda de marca para ser vendida no exterior

A Fiat Strada é enviada de Betim (MG) ao México como Ram 700. É vendida por lá em cabine simples, cabine dupla e a Adventure com cabine dupla com mudanças como a logomarca da Ram substituindo da da Fiat e sempre com o motor 1.6 eTorq, que foi aposentado no Brasil ainda na época do Palio e Punto, mas que segue sendo produzido em Campo Largo (PR) para exportação, e a dianteira com faróis com projetores de luz.

A nova Strada não deve ficar de fora, pelo contrário. Com a adição de itens como os controles de tração e estabilidade e 4 airbags, pode ficar mais competitiva naquele mercado. O Kleber Pinho (KDesign AG) imaginou como ficará a nova Strada pronta para a exportação como Ram 700 e chamou a atenção até mesmo do público americano, apesar do porte pequeno diante das picapes vendidas localmente. 

Como base, ele usou a Strada Volcano, a topo de linha com direito a faróis full-LED. As quatro portas ampliam o espaço interno e agora homologa a picape para receber cinco ocupantes em seu interior. Deve chamar a atenção também a presença do novo sistema multimídia da FCA com espelhamento de smartphones via Apple CarPlay e Android Auto sem fios, item de modelos mais caros em diversos mercados. Na dianteira, ele utilizou a mesma comunicação visual da grade dos modelos Ram maiores, assim como a versão Laramie na tampa traseira. 

Ram 700 Renderizações

A motorização pode seguir dois caminho para a Ram 700. O Firefly 1.3 pode entrar no lugar do 1.6, com cerca de 101 cv e 13,7 kgfm de torque - números do motor com gasolina. Por outro lado, poderá manter o 1.6 eTorq com 115 cv e 11,9 kgfm de torque, sempre com câmbio manual de 5 marchas e tração dianteira. 

De qualquer forma, a nova Strada deve começar a ser exportada para o México meses após o lançamento em nosso mercado. O país também recebe o Fiat Fiorino (como Ram Promaster Rapid), Palio Weekend, Mobi e Uno.