De acordo com o chefe de design da marca, sedãs são mais elegantes

Em 2019, cerca de 60% das vendas globais da BMW foram de SUVs. A informação até levaria a acreditar que a marca alemã poderia seguir o caminho de outras (como a Ford) e investir mais neste segmento em detrimento dos sedãs, a quem a empresa deve bastante de seu sucesso - Série 3, Série 5 e Série 7 fizeram a BMW ser o que é hoje. Mas, em entrevista ao site Autoblog, Domagoj Dukec, chefe de design da BMW, disse que os sedãs seguem nos planos. 

Mesmo com o crescimento dos SUVs, alguns mercados ainda preferem carros baixos, como os sedãs. No mercado americano, por exemplo, apesar da dominância dos SUVs, é esperada uma volta dos sedãs. Na Europa, os utilitários esportivos ainda não tem o mesmo sucesso, assim como na China, onde eles preferem outros segmentos, como os sedãs. 

Dukec fez até uma ligação entre automóveis e a decoração de uma casa, dizendo que apesar da modernidade de uma casa que junta todos os ambientes, ainda é "mais elegante" as áreas separadas - como os sedãs. Apesar disso, o chefe de design diz que o projeto dos sedãs está mudando, e podemos ver isso no novo Série 2 Gran Coupé. "Algo certo é a modernização, ou evolução, do estilo da carroceria. Não precisa ser um três volumes clássico, pode ser um 2,5 volumes", disse Dukec. 

BMW Série 2 Gran Coupé
Apesar do nome, o BMW Série 2 Gran Coupé é considerado um sedã. Concorre com os Audi A3 Sedan e Mercedes-Benz Classe A Sedan.

Pelas palavras do chefe de design, podemos esperar um estilo parecido ao do Série 2 Gran Coupé para futuros lançamentos da marca. Basta observar o atual Série 3 para ver um terceiro volume mais discreto que nas gerações anteriores, reforçando uma silhueta mais esportiva que clássica, algo que se reserva aos Série 5 e Série 7. 

Fonte: Autoblog

Galeria: BMW Série 2 Gran Coupé (avaliação em Portugal)