Novidade vai conviver com o modelo 1.8 híbrido como opção de melhor desempenho

A Toyota anuncia no mercado europeu a chegada da linha 2020 do crossover C-HR com uma série de novidades. A principal delas diz respeito à oferta de um novo conjunto híbrido para as versões topo de linha. Batizado de Hybrid Dynamic Force, o sistema é o mesmo já adotado pelo Lexus UX vendido no Brasil e toma como base o motor 2.0 do novo Corolla, chegando a 184 cv em conjunto com os motores elétricos, tendo emissão de apenas 118 g/km de CO2.

Toyota C-HR 2020

A Toyota diz que o powertrain “combina desempenho aprimorado com alta eficiência” e irá conviver com o sistema já oferecido desde então, com motor 1.8 de 122 cv e emissões de 109 g/km. Na prática, o C-HR 2020 passa a ser vendido na Europa unicamente com propulsões híbridas, sendo descontinuado o motor 1.2 turbo de 116 cv movido apenas a gasolina.

No visual, os destaques ficam por conta dos faróis com novas lentes e luzes em LED, luzes de posição também em LED, para-choque dianteiro redesenhado na parte inferior, lanternas com nova disposição interna de luzes e iluminação novamente em LED, spoiler em preto brilhante, rodas com novo desenho, entre outras atrações. Na cabine, é novidade o sistema de entretenimento compatível com Apple CarPlay e Android Auto, além da interface que suporta atualizações de mapas e permite aos clientes ter acesso aos dados e coordenadas mais recentes.

Galeria: Toyota C-HR 2020

No mercado europeu, a gama de versões é composta pelos acabamentos Icon, Design, Excel e Dynamic, com preços a partir de £ 25.625 no Reino Unido (cerca de R$ 130.990 numa conversão direta). Completa o portfólio a série especial Orange Edition, novidade na gama.

O C-HR chegou a ser testado no Brasil como opção de rival para o Honda HR-V, mas, segundo a Toyota, o modelo foi reprovado em clínicas com consumidores por causa do espaço comedido no banco traseiro e no porta-malas. Em seu lugar, a Toyota está desenvolvendo um novo SUV que será lançado em 2021, também sobre a plataforma TNGA do Corolla - que também serve de base ao C-HR. 

Fonte: Toyota