Arquitetura modular TNGA terá variante GA-B, para carros compactos

Embora tenha sido lançado no Brasil em 2015, o Toyota Yaris já está prestes a trocar de geração no resto do mundo. Uma das novidades acaba de ser revelada pela Toyota: uma versão reduzida da plataforma TNGA, a mesma do novo Corolla e dos SUVs C-HR e RAV4, chamada de GA-B, feita para modelos compactos. A estreia do novo Yaris é esperada para este ano no Japão, com uma possível apresentação em outubro, durante o Salão de Tóquio, devendo chegar à Europa em 2020.

Galeria: Plataforma Toyota TGNA GA-B

A plataforma TNGA terá cinco variantes. A primeira é a GA-L, usada pela Lexus no LC e LS, com motor longitudinal e tração traseira (ou integral); logo abaixo está a GA-N, também para motores longitudinais, e que só é utilizada pelo Toyota Crown no Japão; a GA-K é para modelos grandes, como o Camry ou o RAV4; o Corolla é o primeiro modelo no Brasil a adotar a GA-C, de modelos médios (ou compactos no resto do mundo), que também é a base do Prius e do C-HR.

Segundo a Toyota, a TNGA GA-B foi feita para manter alguns dos atributos das versões maiores, como o uso de aços de alta resistência. Utilizará suspensão McPherson na frente, enquanto a traseira pode ser de eixo de torção ou multi-link, dependendo do modelo. A posição de dirigir é mais baixa e próxima do centro do veículo, o que reduz o centro de gravidade.

O espaço foi otimizado, aproveitando melhor o entre-eixos para que o veículo tenha balanços menores, mas sem comprometer o espaço interno. Mesmo a GA-B pode ser alterada para diferentes tipos de entre-eixos dentro do segmento dos compactos, permitindo seu usando tanto em hatches quanto sedãs, por exemplo.

Galeria: Toyota Yaris Hybrid - Flagra

A Toyota não faltou sobre a motorização da plataforma TNGA GA-B, mas é certo que ela será preparada para receber sistemas eletrificados, já que a marca continua a oferecer cada vez mais modelos híbridos. A nova geração do Yaris já foi avistada testando a variante híbrida para Europa e Japão – para enfrentar o Nissan Note e-Power e o Honda Fit no oriente.

A grande dúvida é se a Toyota trará a plataforma GA-B ao Brasil. O Yaris nacional utiliza a plataforma B, que também é a do modelo vendido no resto do mundo, seja a variante europeia ou a asiática. Uma possibilidade é que o investimento a ser anunciado em breve, para um SUV compacto nacional, seja para adequar o complexo em Sorocaba (SP) para produzir veículos com a arquitetura GA-B, primeiro no crossover e, daqui a alguns anos, no novo Yaris. O valor esperado é de R$ 1 bilhão, mesma quantia que a fabricante colocou em Indaiatuba para fazer o novo Corolla.

Enquanto isso, o vice-presidente da Toyota do Brasil, Miguel Fonseca, confirmou que o próximo Yaris terá pelo menos uma versão híbrida, mas que seu lançamento por aqui ainda deve demorar cerca de cinco anos.